Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Giló - O Papagaio Indiscreto

Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog Papagaio

Giló - O Papagaio Indiscreto

Pensamentos pequenos, pequenos pensamentos.

 2

  Um professor sul americano dedicou-se a compilar, num trabalho que demorou algumGiló Papagaio Indiscreto.png tempo a ser concluido, um conjunto de pensamentos e definições dadas por crianças entre os 5 e os 10 anos. Começou por mero acaso, força de pequenos episódios que ia vivendo com alguns dos seus alunos. Reparou naquilo que começou a achar como sendo verdadeiras "pérolas" do pensamento infantil, decidindo publicar, mais tarde, alguns dos "tesourinhos" que foi guardando.

   Definitivamente, há situações que têm um "piadão", e que só poderiam ser obra e produção  da "engenharia mental" e da alma imaculada dos pequenos. Não resisto a deixar alguns excertos (não poderia deixar todos, por óbvia falta de espaço, e para não cometer um "assalto" sobre o autor... o homem que me perdoe, que só quero fazer sorrir um pouco e por-nos, também, a pensar!)

 - Criança: Uma criança é um amigo que tem o cabelo curtinho, não bebe rum e vai dormir mais cedo”.

-Camponês: "Um camponês é uma pessoa que não tem casa, nem dinheiro. Os seus filhos é que têm".

-Ancião: "É um homem que fica sentado o dia todo".

- Dinheiro: " É uma coisa com interesse para os outros adultos, com que se faz amigos e, sem ela, se faz inimigos". 

-Sexo: "É uma pessoa aos beijos em cima da outra". 

-Deus: "É o amor com cabelo grande e muitos poderes". 

-Solidão: "Tristeza que dá na pessoa às vezes".

-Guerra: "É quando a gente se mata por um pedaço de terra ou de paz".

-Inveja: "Atirar pedras aos amigos".

-Céu: "É o sítio de onde sai o dia".

-Lua: "É o que nos dá a noite". 

-Mãe:  "A Mãe entende sempre e depois vai dormir". 

-Branco: "O branco é uma cor que não pinta".

-Igreja: "Onde a pessoa vai perdoar Deus".

- Amor I: "Amor é quando você sai para comer e oferece as suas batatas fritas, sem esperar que a outra pessoa te ofereça as batatas dela".

- Amor II: "É quando  a minha mãe faz café para o meu pai e bebe um gole  para ter a  certeza que está do gosto dele".

- Amor III: " Deus podia ter dito palavras mágicas para os pregos caírem do crucifixo, mas ele não disse isso, isso é amor". (miúdo de 5 anos, ao que consta!)Giló Papagaio Indiscreto.png

A montanha pariu um rato, perdão... um sapo!

O Sapo Blogs dava-me a notícia de que tinha algum post que estava a ser lido. Por momentos, cheguei a pensar que estava em Giló Papagaio Indiscreto.pngapuros. Andaria alguém a ler os meus posts? Na verdade, escrevo-os para isso mesmo, e porque me dá prazer...

Mas deve ter sido erro de alguma "aranha", ou um curto circuito no Sapo. Ao mesmo tempo, deceção e alívio ( se calhar mais deceção!)

E a montanha pariu um SAPO ( Blogs!)

Papagaio ( chuiff!)

Jantar é hora da família? Ou dos tristes pequenos afogados no areal?

   Resultado de imagem para notícias à hora do jantar    A propósito de um post anterior, acabei a matutar sobre o problema ( ou não Giló Papagaio Indiscreto.pngproblema) de ter a televisão ligada à hora do jantar. Muita gente o faz (ligar a televisão à hora da refeição - eu sou um deles!!!!), pelo menos aqueles que jantam à noite, em companhia, por exemplo, da família.

    Não valerá a pena tentar colocar pontos de interrogação na situação. Não é necessário proceder-se a muitos estudos, fazer análises detalhadas ou tirar a régua e esquadro, no método científico, muitos números e vértices: o ângulo é certeiro há muitos anos, e cada vez mais; sabemos facilmente, seja por experiência própria, seja por relatos "empíricos de rua", que a caixinha que mudou o mundo continua a mudá-lo, para o bem e para o mal.

   De tão mundanos e recorrentes que se tornaram, o lugar da televisão e o ligar de televisão surgem sem que alguém dê sequer por eles. E ficamos para ali, a engolir a sopa, a moer as batatas, a ruminar o bifinho e o peixinho ao som das bombas que caem em cima de prédios que já não são prédios, dos gritos dos refugiados a atravessar o canal em botes de borracha, das corridas dos superfugitivos que a polícia procura montanha acima, das razões dos políticos contra políticos, do corrupto corrompido que jura que não é corrupto, do treinador de futebol que diz que é melhor que o outro treinador de futebol...dos repórteres aos pulinhos, atrás do escândalo da senhora do "social", que fez uma plástica que correu mal... 

    Mas a questão essencial que coloco não é a  da qualidade do material televisivo (ou da falta dela). Ou se aquilo que nos chega casa dentro, por intermédio da televisão, é benéfico ou não. Essa é uma questão que tem dado "muito pano" e continuará a dar. Não me sinto, sequer, com "fibra" mínima para abordar esse assunto. Não é para mim!!

    Coloco, isso sim, a questão de qual será a notícia mais interessante à hora do jantar ? A da subida ou descida do barril de crude, a do IRS que amanhã nos irá cortar mais uma fatia de pão à mesa... ou a notícia do meu puto que arranhou o cotovelo no recreio, já depois de ter lido a composição dele na sala, para a professora e para os colegas? Ou a da minha mulher que comeu um pastel de nata supostamente "fabuloso", pastel esse trazido por uma colega lá do trabalho dela?

     Darei por mim um tanto ou quanto distraído?  A televisão faz companhia ao mais solitário, sem dúvida! Mas cá por casa somos mais na base do coletivo, julgo eu; e quem anda a falar por aqui é mais o político, o refugiado, o fugitivo do mato, o jogador de futebol, o polícia, o ladrão, o diretor corrupto do banco, o Estado Islâmico.

    Estão-nos a mandar calar!?... eu tenho andado calado ...o meu filho tem andado um pouco mais calado também. Acho que  ando a cortar um pouco a palavra ao pessoal, sobretudo à hora do jantar. E sou eu que ligo a televisão... geralmente!

   Talvez não seja mal pensado mudar de estação um dia destes... e desligar a TV... Pode ser que a minha família resista à falta de desastres e catástrofes, ou corpos espalhados pela rua e comece a falar do seu próprio noticiário, não fazendo silêncio sobre si mesma!Giló Papagaio Indiscreto.png

    

O que é a Violência, Pai?

  Resultado de imagem para violencia síria Ficar sem palavras é assim! Julgava que me iria perguntar, um dia, " Como é que nascem os filhos?" ou " Como é Giló Papagaio Indiscreto.pngque eu saí pela barriga da mãe?" Andei muito tempo a tentar pensar como abordaria esta questão quando ela surgisse. Andei a perder o meu tempo e a queimar o cérebro para nada!

   Afinal, «O que é a violência?»Assim, sem mais nem menos! Apanhado ao cruzar da esquina,  inesperadamente!    E dei-lhe a resposta mais simples e honesta que achei, na minha manifesta falta de preparação, dever de dar. Disse-lhe: « É aquilo que estás a ver na televisão, as casas a explodir, por causa das bombas que algumas pessoas decidem lançar...aquela rua toda cheia de pedras pela chão, igual às outras ruas todas ao lado, também cheias de pedras, naquela cidade. E é assim violência, também, quando as pessoas estão zangadas umas com as outras e decidem andar à pancada e a magoarem--se. 

« E porque é que as pessoas ficam zangadas assim?» Respondi que as pessoas decidem ficar zangadas e ser más só porque querem, que isso não é bom e que há outros que sofrem muito por causa dessas coisas tontas. As pessoas que sofrem também são as crianças, como aquelas da imagem, a chorar, tristes e desorientadas.

   Não sei se ando a deixar que se veja muito telejornal à hora do jantar, ou se ando a ligar pouco a televisão e as imagens é que são demasiado as mesmas!!!Giló Papagaio Indiscreto.png

Papagaio

Oito da manhã... cerveja na mão... há muito tempo!

  Resultado de imagem para rally e cerveja Não, desenganem-se, não estou a falar de alcoólicos, que esses sofrem em silêncio, escondem a sua Giló Papagaio Indiscreto.pngincapacidade, por vergonha, não se orgulham do espetáculo dado nem têm mão na sua dependência.  

 Falo dos outros, dos bêbados, mesmo; para mim, um bêbado é diferente e pior que um alcoólico, porque é um alcoólico que não vê problema nenhum! Um daqueles que se orgulham como se estivessem a conquistar um troféu, dos que o fazem como se ganhassem músculo, vissem crescer a sua masculinidade, aumentar o seu ego ou promover a sua personalidade perante os outros.

   Vejo já centenas de garrafas e copos de plástico vazios a minarem o chão. As ( garrafas) e os (copos) que já foram bebidos. Já nem falo do que está, ainda, por beber. Tal é o cenário, que se torna mais fácil pisar uma garrafa e torcer um pé, do que pisar numa pedra ou num tufo de urze! E atenção, que estamos no meio do campo, árvores e natureza crua por todo o lado! Dentro de uma horas, lá mais para a tarde, estas garrafas espalhadas vão explodir que nem minas, em forma de murros e pontapés nas trombas. Acabará tudo à frente da lei do cacetete policial. Já vi este filme! Sei bem do que falo. Esperemos só mais umas horas.

   Mais cru que o cenário, só mesmo a atitude das pessoas, e ponho-me a pensar como é que certos estômagos aguentam estes hábitos degradantes e pouco salubres. Ao exagero brutal das quantidades, junta-se também o inadequado da hora. 

   Poderá haver quem se enraiveça e diga que o exagerado sou eu! Por mim, tudo bem... a zona de comentários está já aí abaixo, é só usar. Na verdade, digo isto porque estou no meu blog, e o blog é meu e, aqui, eu posso dizer o que quiser! E a situação escandaliza-me. Ponto.

   Sem hipocrisias, noutro sítio não o diria, provavelmente. Às vezes falta-me a pachorra para aturar a verborreia opinativa e considerativa de qualquer brega boçal, tendo que me calar, só porque estou na casa dele. Aqui, estou na minha casa!

   Então digo: acho-nos  demasiado rodeados de bêbados, um pouco por todo o lado, gente que não sabe festejar nem estar alegre. Fazemos concorrência a outros, como ingleses, alemães, holandeses... e muitos outros. Somos fatia do bolo. Não todos, claro, mas os que o são, acho que são demais.

   Sete da manhã... deixa cá ver... sinto-me bem disposto e estou com amigos. O que é que vou fazer? Embebedar-me! Não paro nem quando estiver a cair, a dizer disparates, a vomitar... só quando chegar a polícia de choque.

   Concluo: tenho de desligar - vou ajudar alguns conhecidos que estão nos alcoólicos anónimos. Esses ainda têm saída. Aos outros, deixo-os, que se ajudem a si próprios.Giló Papagaio Indiscreto.png

   Até logo, à hora da porrada!

Cordialmente.

Papagaio

E o Óscar para o Blog mais..., vai para...!

  Já aqui refleti sobre o facto de me ter dedicado ao "postanço" em blogs. E cheguei à Giló Papagaio Indiscreto.pngconclusão de que não tinha conclusão que qualificasse a minha atitude. Ainda agora tenho dificuldades em ver justificação satisfatória, se a há!

   Resultado de imagem para á rasquinha para ir ao wc Continuo, por tudo isto, agarrado ao "Só Porque Sim, Apetece-me"! De facto, é o que encontro de significativo como explicação - nada mais - o que me tornará, dirão muitos, numa espécie de "maluco sem razão válida"  e que, apesar de ter muito que fazer, arranjou mais uma coisa ( provavelmente) parva para fazer.

   Retirando os aspetos eventualmente negativos da situação, talvez possa haver, escondido em algum lado, também algo de positivo.  Deixa cá pensar...huumm... Já sei!!!! - Se me pusesse - por exemplo -  a escrever e decidisse publicar um livro, só aconteceria uma de duas coisas: ou levar um pontapé certeiro e infame de alguma editora arrogante, ou publicar às minhas custas, em edição de autor, saindo os olhos da cara aqui ao menino. Acabava com uma dívida em casa e sete caixotes do mesmo livro no sótão, que ninguém iria querer ler!

   Aí, já há algo de positivo - a possibilidade de mandar cá para fora umas tretas escritas com tarifa totalmente low-cost, sem censuras editoriais . Outro aspeto, ainda financeiro, é que também não se paga qualquer imposto nem taxa. Pensando bem, "blogar" deve ser das poucas coisas que não se paga neste país. Pelo menos, que eu saiba! No estado de pressão fiscal em que nos encontramos, sabe bem "enganar" o fisco desta maneira, e sem o risco de aparecer à porta um fulano das finanças à pega connosco, a querer penhorar-nos a sanita!

   Outro dado, é que poupo nos antidepressivos, uma vez que o blog tem servido como uma espécie de comprimido de efeito relaxante ( lá estou eu com a vertente monetária e psicológica!); o único sarilho visível que encontrei até agora, foi que dois ou três  internautas, como é o caso do Malik, da Fashion e da Chic'ana, apanharam o hábito insalubre de me vir ler, de vez em quando. Acabou-se o intimismo!!!!Resultado de imagem para antidepressivos

    E eu fico nervoso, acuso a responsabilidade, sinto o mundo em cima dos meus ombros, nunca tive plateia tão extensa! Um destes dias, - xixi -  este público numeroso e exigente pode vir a provocar-me incontinência urinária! Afinal, economizo no Alprazolam, mas gasto  no urologista!Giló Papagaio Indiscreto.png

O Martim voltou...

 O Martim voltou e isso deixa-me feliz!

    Pronto, está dito! Afinal, eu também tenho um filho e não gostaria que ele desaparecesse. Só posso estar alegre por os outros poderem ter respirado de alívio, e poderem sossegar, felizes pelo pesadelo que acabou!

   Martim, felicidades pá!Giló Papagaio Indiscreto.png

Pág. 1/4