Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Giló - O Papagaio Indiscreto

Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog Papagaio

Giló - O Papagaio Indiscreto

Conhecer o papagaio... Pessoalmente!

 

conhecer papagaio blogs posts.jpg

  Uma bloguista estimada  que não vale a pena dizer o nome - A Mãe dos PP'S! -  pirou de vez e disse que não se importava de me conhecer pessoalmente! E lembrei-me que sou um presente envenenado! Da última vez que alguém me disse " prazer em conhecer", eu abri a boca e as pessoas abriram  caixas de aspirinas... acho que foi por ter ficado a falar durante três horas. De repente, julguei ter visto uma aranha que estava no canto da parede a passar em direção à porta, com uma mala numa das patas da esquerda e a acenar Adeus!. As aranhas nem costumam fazer muito isto, são muito paradas, a criar redes com pó, a não ser que digam "Google" nas costas. Aí, passam com uma mala nas mãos mas sempre ao lado, já é costume... a visita tem por hábito ser lá para outras paragens. Vão fazer redes e poeira para os olhos de pessoas algo importantes!

   Por merdas destas é que escolhi o nome de "Papagaio" para o raio do blogue. Fiquei na esperança de que, se cometesse a insanidade irrefletida de abrir espaço na teia, ninguém se aproximaria muito de um animal tão perigoso e antisociável como um Papagaio... e eu ficaria a falar quase sozinho, sem perigo de fazer adormecer ou incomodar em excesso a sociedade.  A estratégia tem-me corrido mais ou menos bem, - até agora ninguém me obrigou a pagar IMI! -  a não ser quando algumas pessoas amáveis embirram que me querem conhecer, me convidam para contar dez histórias de uma só vez ou para carimbar um selo num vídeo musical da Lara Li!

   Ou como uma vez, em que também me correu mesmo mal: eu tinha acabado de chegar e alguém me disse que tinha sido destacado por uma equipa... fiquei assim...... pensei que fosse alguma equipa de futebol e eu tivesse sido convocado para alguma coisa que desse bandeira  a mais! Mas depois passou... e eu respirei de alívio... porque nunca mais aconteceu e eu fui reparando que talvez tivesse condições para andar por aqui sem fazer muito estrilho nem alarido. Passando despercebidos, ninguém nos vem bater! Eu não gosto que me batam, porque me amassa as penas. Com as coisas da alma, do espírito e dos sentimentos eu  já não me preocupo tanto. Já as penas...

   Apesar de tudo, nada de leituras precipitadas e imediatistas... não é, ao contrário do que certas individualidades possam imaginar, uma atitude derrotista ou uma manifestação pindérica de falta de autoestima! Não! Nada disso! Eu até me autoestimo um bocado e, por vezes, até gosto de mim... costumo ter sonhos em que apareço muito como protagonista e mesmo como figura principal. Se calhar, até sou um bocado convencido.

   Por exemplo, uma destas noites dei por mim a acordar e a reparar que estava a sonhar outra vez comigo. Mais uma dose de egoísmo inaceitável! Tive de me levantar e ir pegar ao emprego mais cedo, às quatro da magrugada, para não me ficar a armar em narcisista na cama! No pesadelo eu estava a andar num aeroporto e havia cachos de bananas por todo o lado... ao longe uma estátua castanha com um papagaio a sorrir com a boca ao lado,estilo ataque cardíaco, para os lados da zona franca. Eis que veio alguém e levou o busto. Era um garoto de calções, com ar de mal disposto e uma camisola estampada com um núnero sete nas costas. O puto atirou com o papagaio pela janela fora e aproveitou para atirar também para dentro de um lago um microfone vermelho que dizia "CM". Depois, entrou para dentro de um avião com um  monte de gente atrás. Eu fiquei sozinho junto ao Check-in com a caneta dos autógrafos na mão. Mais aliviado! Não sei o que é que o sonho queria dizer, mas isto mostra que eu estou no centro dos meus sonhos...não é falta de autoestima, como se verifica!

   Mas voltando à ave, que já estou a falar demais, e até nem sei se já não será demasiado ou para além daquilo que deve de ser falado...ou dito, voltemos: eu não me quero denegrir -  eu amo-me! embora não me ame tanto como aquelas pessoas que andam com uns paus chamados "Sofias", com umas peças de plástico na ponta que fazem umas luzes brilhantes para bronzear a cara! Por acaso, agora que falo nisto, reparo que as pessoas andam mais bronzeadas na rua, mesmo no inverno! Será por causa das tais "Sofias"? Aquilo dispara muita luz, indeed!!! Acaso já ninguém vai ao solário enfiar-se dentro daqueles caixões com lâmpadas e ameijoas nos olhos?... Ah!, pois... - eu estava a dizer que gosto de mim, é só isso! - para a Mãe, a Chic, a Bolacha, a MM's, o Eletrodoméstico, a Kalila, a Desco..., o Freima, a Fash, a Mami e os outros todos de que eu me estou agora a esquecer vergonhosamente, não me virem prá qui cobrar as penas, e encherem-me o blogue de visitas, correndo eu o risco de alcançar sucesso nas redes sociais...

   ... e Mãe... apanha juizo!... que tu não me queres conhecer tão bem assim...como neste estado impessoal e congelado das High-Techs!!! Agarra-te ao smartphone, ao tablet e ao pechiché... que não há melhor forma de continuarmos a ser os conhecidos mais mal conhecidos do mundo! Esquece essas coisas da alma, que a vida está hoje toda nas nossas mãos... mais precisamente na ponta artrótica dos dedos!

...um vosso admirador...

Papagaio

Pediatras abrem guerra aos tablets e telemóveis à mesa?

 

blogs e papagaio  e alimentação à mesa cartoon

   E a montanha pariu um rato... novamente! Perante um título tão promissor, ainda se chegou a pensar que alguém iria criticar o facto de muitos pais se demitirem, mais uma vez, e hipocritamente, da verdadeira educação dos filhos, autorizando a substituição infame do diálogo e da boa confraternização familiar à mesa, entre miúdos e graúdos, pelo uso gelado das nevoeirentas tecnologias.

   Mas não, afinal a crítica é, apenas, à circunstância de o telemóvel e o tablet,  em cima da mesa à hora da refeição, propiciarem, ao que consta, e no entender dos académicos sabidos, que as crianças se alimentem mais do que o desejado. A comunidade científica parece ter desconfianças que os iphones, os smartphones e primos adjuntos distraiam as crianças de tal modo que as façam perder a noção do que estão a comer, durante a hora das refeições!!!

   E esta? Sociedade dum catano! Atenção! - podes alhear-te do teu pai e da tua mãe, ignorar os teus irmãos, esquecer-te da tua família, mas não te distraias do bife com batatas fritas, por causa de um telemóvel!

Papagaio

Aeroporto Cristiano Ronaldo?

 

aeroporto celebridades papagaio cristiano ronaldo.jpg

   É muito bonito o nome do novo Aeroporto Internacional da Madeira. Os hotéis de muitas estrelas da ilha agradecem, a reboque do nome do astro. O Dr. Alberto João Jardim é que ficou sem lugar, e alguns madeirenses estão revoltados.

   Primeiro, porque o ex-político é muito mais velho, - passaram-lhe a perna - deu muito mais nas vistas durante estes anos todos, não passou despercebido a ninguém, por isso estava à frente na fila; depois, porque fez mais obra no arquipélago do que o futebolista, que não percebe nada de obras. Por exemplo, uma das últimas inaugurações em que participou foi a uns sanitários em Curral de Freiras, e nem deram o nome dele sequer a uma sanita ou a um bidé! Está muito injustiçado, o mestre João! No mínimo, merecia o nome dele colado no terminal da rodoviária insular ou a cara estampada nas traseiras dos autocarros, para ninguém se esquecer do doutor!

   De outra forma, o nome do craque pode trazer mais desenvolvimento para a ilha. Melhor: o que estará a faltar para mandar a Madeira para os píncaros dos panfletos das agências de viagens é juntar todo o clã  - por exemplo, o nome "Kátia Aveiro" nas lojas de sutiãs e lingerie sexy; "Dolores Aveiro" para vender coroas de flores às portas dos cemitérios, nos dias de Finados ou o de "Cristianinho Ronaldinho" nos letreiros luminosos das pistas de carrinhos de choque, nas festas paroquiais.

   Sem irmos embora, fazemos o reparo a uma outra dimensão do problema: por que razão só o aeroporto? E por que razão só os hotéis e os terminais rodoviários? A Madeira, toda ela, carece de empenho e atenção. Reparemos na banana: é a altura ideal para a batizar - proponho " Banana do Cristiano"; "Poncha da Georgina"; " Bolo de Mel do Pepe"; "Bailinho do Real"; " Montanhas da Elma"; "Ilhas Bernabéu". Isto sim, é que era faturar!

Papagaio

   

Todos os Nomes.

todos os nomes papagaio blogs posts.jpg

 

   Toda a gente gostava do Sustenido. O Sustenido era uma alma dócil e infantil lá da terra. Um bom amigo. Na catequese portava-se bem, e o Papagaio apreciava o seu temperamento, ficando ao pé dele. Dali não vinham tempestades e o Papagaio também não gostava de tempestades.

    Nas partidas de futebol era Sustenido prá-qui, Sustenido prá-li. «- Passa, Sustenido!» - e o Sustenido passava sempre a bola de couro, com a maior das diligências, para que a jogada seguisse da melhor forma e o golo acontecesse, numa explosão triunfal: GOOOOOOOOOLÓÓÓ! TÓÓÓMA! XUUUUPAAA!!

   Um dia, foi para as artes marciais. Começou a treinar murros e pontapés contra os troncos das árvores, na mata. Convidou a ganapada da freguesia para as suas aulas de "pontapé no pinheiro", - Sustenido: Mestre de Leite no Kikcboxing!!!!  - mas como os troncos eram mais duros que os chifres de um touro, a clientela fedelha desistiu toda na primeira sessão. Na segunda aula ficou o Sustenido a rebentar troncos de árvores sozinho!

    No primeiro combate oficial que fez, levou nas trombas de um brutamontes com mais rodagem... apareceu em casa com um olho negro e inchado, a ameaçar perder a vista  e a mãe não esteve com  meias medidas: pregou-lhe nas trombas pela segunda vez ainda no mesmo dia, acabando-se as artes marciais, sendo substiuídas pela apanha da batata nos tempos livres!

   Também havia o Urtiga, o Pipa,  o Pilas, o Tetas, o "Dos Bifes", o Pelinhos, a Lúcia Piolhosa, que andava sempre com os tais na cabeça - era à moda de os apanharmos todos nas carteiras da escola. A Lúcia fazia quarentena, as assistentes sociais aplicavam-lhe o "Quitoso" da época, uns dias de faltas às aulas e o ritmo engrenava na normalidade, até à próxima "colheita", quando a Lúcia voltasse.

   O "Dos Bifes" era o tal do talho... distribuia travesseiros de chocolate pelo moleques famintos; o Urtiga chegou a uma fase da vida em que só via o violão - passou a encantar as moças da região e arredores com os seus acordes... bem, os acordes não eram dele... era imitações trémulas do Top+, para enganar as hormonas efervescentes!

    O Pipa era " Pipa" porque era... "largo" e levava a maior sandes mista de todas para o recreio.

   Sobre o "Tetas", bem, falar-vos-ei na próxima " aula"...  porque o Tetas tem muito que se lhe diga e merece um episódio especialmente exclusivo, de tão rica figura que é (era!).

Papagaio

Mudanças no IRS.

  impostos.jpg

   Todos os anos há mudanças no IRS! Cada vez há mais mudanças no IRS! Estamos fartos de mudanças na porra do IRS!

   Para que servem as mudanças no IRS? Primeiramente, para baralhar ainda mais a cabeça aos mártires dos contribuintes - para que se enganem a preencher o IRS; para que se atrasem a entregar o IRS; para sugar mais algum em taxas e coimas de IRS!

   Por mim, mandava os impostos à m*rda, a começar pelo IRS... e a continuar no IMI, no IVA ( esse pedaço fantástico de poesia!)... pensando bem, um dia destes dedico um soneto ao IVA... tem potencial... não o soneto... mas o IVA, para ser gozado!

Papagaio

  

Diz-me Como Me Bates... Dir-te-ei a Besta que És!

  

   A Associação de Apoio à Vítima veio denunciar esta manhã que os crimes e a violência contra cidadãos do sexo masculino tem vindo a aumentar, no nosso país, assim como os casos de agressividade e negligência praticados contra idosos. Não é nada que surpreenda, apenas a confirmação matemática e estatística daquilo que já se ouvia falar há algum tempo. Aliás, o que acontece em Portugal parece acompanhar a tendência que se verifica, também, em outros países da Europa, tanto do sul como do norte europeu.

   A par com o martírio  - sobretudo doméstico - vivido pelas mulheres junta-se, nos últimos anos, a diversificação dos casos de violência, que muitos associam ao estado de crise e degradação económica que se tem feito notar.

   O que nos poderá parecer é que esta última "colagem" do aspeto económico ao ambiente social será algo simplista e não livre de erro. A questão é que uma análise mais atenta de alguns dados remete para uma conclusão mais preocupante: a de que a violência tem encontrado novos expoentes, independentemente dos países em causa ou do clima económico. Ou seja - a violência contra mulheres, homens e idosos tem aumentado... ponto.

   A questão está na resposta que se quer para este tipo de situação ou, sequer,  se existe vontade de criar respostas. Falamos de quem nos governa, a nós todos e de nós próprios, que andamos na rua, na vizinhança, sabemos dos casos e insistimos que o problema não é nosso, calando!

   A revolta não chega - revoltados dizemos nós andar todos por dentro! Há é a necessidade de fazer, independentemente de sermos mulheres, homens, novos, velhos.. líderes ou cidadãos de base.

   No nosso entender, há que desmontar os preconceitos e deixar de ver só as vítimas do costume. A denúncia deve ser feita sobre as vítimas do costume, mas também sempre quando algo acontece, não quando acontece sempre aos mesmos!

 

Postas de Pescada à Lá Gardére

Resultado de imagem para caldeirada  cartoon

Ingredientes:

- 500 gramas de política

-Três juízes de comarcaResultado de imagem para pancadaria comic

- 8 jogadores de futebol

- Resmas de dirigentes desportivos (q.b.)

- 1 pitada de discussão familiar

- 1 naco de língua de sogra

- 3 postas de pescada nas ventas

- 10 cervejas a mais

- sal

- pimenta

- 2 dentes de alho

- um bastão de polícia

- uma folha de louro (para azedar)

- um naco de amigos da onça

- duas fatias de amigas pindéricas

- uma colher de chá de penetras com a mania

- má disposição a gosto

- 2 dls. de blogue fedorento ( Papagaio, por exemplo)

 

Preparação:

Misture a política e o futebol tudo num tacho de levar ao lume. Corte as postas de pescada às fatias grossas e atire-as com toda a força à cara da sogra. Aproveite para lhe arrancar a língua e polvilhe com a ajuda dos amigos manientos, até a deitar para o lixo ou lhe deixar os créditos pelas ruas da amargura.

Acenda o lume, pegue nas amigas pindéricas e mete-as fora de casa antes que estraguem a louça. Adicione uma chamada para a polícia e outra para o Intermarché, às duas da madrugada (eles abrem a porta!), para que possam trazer o bastão que está a fazer falta na receita. Pegue no dito e corra tudo à paulada com o apoio dos agentes e mexa bem, espalhando a pimenta, o louro e o sal nas costas dos amigos da onça.

Regue com as cervejas, para apurar e dar outro cheirinho, até que tudo fique a falar sem sentido; adicione uma pitada de discussão e deixe marinar até que a panela fique negra no fundo . Faça um pouco de sala com a senhora do Intermarché e discuta bem alto sobre as últimas doenças que vos têm arreliado.

Nesta altura, pode ligar a televisão no 24 Kitchen, para ver o Bourdain a comer, não a cozinhar - assim, fica a saber como se faz e a hora a que chega no ponto de caramelo sem perceber nada de cozinha, como eu - eu sei que esta frase não fez sentido, mas era mesmo a ideia, para o blogue ficar ainda mais estúpido. Abra a porta aos juízes, deixe-os entrar e peça para que manifestem a sua opinião quanto ao prato, oferecendo-lhes com uma colher de pau.

Quando estiver dourado, junte o Pinto da Costa e os outros dirigentes para jantar. Polvilhe com os jogadores de futebol e sirva bem regado com um toque de blogue ranhoso. No fim, lave a loiça.. se não for o caso, lave roupa suja, que é para isso que as postas de pescada são feitas.

Papagaio

 

 

Tiroteio-Me-Quer,Tiroteio-Não-Me-Quer!

images.jpg

   Os tiroteios estão na moda. Nós achamos bem, uma vez que, se o tempo anda tão louco e inconstante que não deixa o agricultor semear nada de jeito, pelo menos semeiam-se balas, assim para ver se cresce e dá que colher. Vai ser duro é apanhar tanta lata espalhada pelo chão! Que nem batata nova (ou velha,do grémio!!)

   Da mesma forma, talvez admitamos que se possa introduzir alguma diversificação nas colheitas da Europa: para além das já barrocas flores da Holanda, começam a apanhar-se, quem sabe, tomates de chumbo em Lille, couves zincadas em Bruxelas, pêra rocha de latão em Alcântara e pasto a cheirar a pólvora, para o gado, lá para os lados de Barcelos.

   A continuar deste jeito, corre-se o risco mais ou menos insalubre de ver transferidos os créditos das cidades norte-americanas mais violentas para o lado de cá do Atlântico. Paris começa a parecer Baltimore, Bruxelas está em jeitos de Filadélfia, Lille ficou animada como o Mardi Gras de New Orleans e Barcelos ganha cada vez mais  fama de que foi invadida por um qualquer psicopata ressabiado vindo de Cleveland. Não falta nada, a não ser que queiramos lembrar que Indianápolis se parece ter mudado de malas e bagagens para Londres - continua a meter balas, latas e chapa, na mesma! Sobretudo latas e chapa amolgada!

   O que não parece tão louvável é que estes episódios, de tão repetitivos que se estão a tornar, acabam por definir um padrão muito monocromático na paisagem europeia (já estão outra vez perdoadas as flores dos países baixos!), e isso afeta o espírito das pessoas, no velho continente. Segundo o que consta por aí , todos estes atos têm sido praticados por gente vestida de preto. Em alguns episódios tem sido de negro, mesmo! A malta começa a desconfiar que isto tudo - a colheita - seja obra de grupos terroristas, porque eles andam constantemente de preto, também! Sempre que alguém dispara, alguma alma grita, aflita e com cocó nas cuecas: "Estado Islâmico!!!".

   Isto leva à neurose esquizofrénica, que é, de todo, cá escusada e não faz sentido algum... toda a gente sabe que na Síria, no Iraque e no Afeganistão não há sementeiras, que aquilo é só deserto de areia e calhaus! Não é bom andarmos a gritar que é o Daesh a toda a hora. Eles, simplesmente, não têm currículo nem experiência nesta matéria! Para além disso, podemos estar a ofender o Zorro, que é de San Diego, o Batman, que é de Gotham ou o Mancha-Negra, que é de Patópolis.  Eles também são muito bons a semear e vestem de negro... igualmente!

Papagaio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Pág. 1/5