Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Giló - O Papagaio Indiscreto

Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog Papagaio

Giló - O Papagaio Indiscreto

Peidar pelos dois...

salvador sobral-papagaio.jpg

  Todos nos peidamos. Que levante a mão quem ainda nunca teve um flato gasoso (...) lá está! Hipocrisias! Não vemos qualquer bracinho no ar...o que só confirma a teoria - não que se necessitasse assim tanto de confirmação! N'é?

   Por excesso, tanto na generalidade como na especialidade, todos temos produtos químicos instalados no ventre...às vezes! Até as improváveis tias de Cascais, que são seres que pertencem a outra esfera, polvilhada de um "não-sei-quê-tipo-chique-d'outro mundo". Há mesmo quem diga que é lá para as bandas misteriosas de Cascais - ou nas redes sociais - que a sociedade  secretamente se desleixa mais! Mas essas são contas de outras ladaínhas que tais.

    E o homem disse que se estava a peidar - o que é que tem? Provavelmente não o deveria era ter feito com o microfone na boca e fora da casa de banho. A questão não estará, tanto, no peidito, mas sim na eructação - essa é que já é uma malvada! Por esta última razão é que -  e no nomeadamente, para além do que concerne ao de facto, que é factual e, mesmo, pragmático na prática - a coisa já se tornou viral, que vem de vírus, pronto!

   Cedissimamente, ontem, por força desta circunstância, foram vários os sinais matutinos de flato, perante tal ocorrência: para além de nos vermos compelidos a tapar o nariz, também foi necessário colocar tampas nos ouvidos e sair à rua de óculos escuros - muito escuros - nos olhos, tanta foi a reação social!  Por exemplo, aqui na vizinhança virtual, e com honras sapais, não faltou quem se desdobrasse na construção de teorias intrincadas sobre o peido. E que interessantes congeminações!

   Outras manifestações mais ou menos impertigadas:

   Telejornal: dissertação gástrica sobre o assunto escatológico. Rádio nacional: o desaconchego intestinó-ventoso. Revista Esotérica Caldeirão Mágico: conspiração do cólon paranormal. Jornais variados: ataque químico com gás sobral na Meo Arena. Orgulho Gay: atmosferas brutó-retais ligadas ao cérebro...Cruzes!!!! Ordem dos Médicos: Causas e sintomas do excesso aerofágico. Dr. Francisco George: cuidados a ter com o PUM! Sindicato dos professores: exclusão do traque nos critérios para quadro de zona pedagógica.  Associação dos Fanáticos Hipocondríacos: os microfones provocam flatulência indesejada nos intestinos! IURD: Deita tudo cá para fora, irmão, inclusivé um cheque assinado! Deixa que Deus te ajude! Revista Maria: " o meu cantor preferido disse que deu uma bufa - será que estou grávida? 

 

excerto de: Amar pelos dois

   Se a tua interpretação...não quiser ceder...
Nem sentir pudor, também não terá de sofrer...
Sem fazer planos do que virá depois,
tal é o bujão, a peidar pelos dois...

Arranjos, letra e  música - Papagaio

interpretação - S. Sobral

Tréguas a Pedrógão!...

pedrógão grande - papagaio.jpg

  Por estes dias, não ser habitante de Pedrógão e vizinhança deve ser uma autêntica de uma benção! Primeiro, e sobretudo por isso,  por uma razão mais do que óbvia - a incineração macabra causada pelo auto de fé. Segundo, por razões um pouco menos óbvias - as enxurradas causadas pelas televisões, redes sociais, público em geral, e os seus "autos de festa".

   Um dos nossos males é a falta de capacidade de fazermos pausa nos nossos interesses em alguns momentos, de nos colocarmos, sem fingimentos, na pele dos outros, por breves instantes. Por essa e por outras razões - e como dizia muito bem uma colega nossa de bloguismo - é que a solidariedade necessária se torna em "solidariedadezinha", narcisista e egocentrista, vaidosa e umbilical, sempre pronta para se deixar fotografar individualmente, a bem da exposição pública ao país! Ser solidário é bom... mas ver-se que somos fixes durante quinze dias ainda é melhor!

   Nada de hipocrisias: em meados de julho, quando já não houver mais tragédia que alimente a praça, muitos já nem saberão onde fica Pedrógão ou se lembrarão que Pegrógão existe! O que conta é sempre a inflamação do momento... depois passa, porque não é a nós que a infelicidade bate à porta, efetivamente.

    Decorrida a tragédia, na qual circularam aviões e helicópteros, drones a filmar kafkianamente as estradas e a área ardida, pinheiros carbonizados, ruas de aldeias cobertas de cinzas, qual inferno em manutenção, automóveis retorcidos e, até, cadáveres a fazer companhia "ao vivo" a repórteres sensacionalistas, chegou a hora das pilhas de cobertores, águas engarrafadas e leite gordo a rodos! Não é que a música e o leite gordo não façam falta, o que é cá escusado é a chegada da selfie à tonelada, também, nas suas dúzias de formas, a dar comércio visual a quem gosta de aparecer. 

     Se fôssemos naturais de Pedrógão, a última coisa que nos deveria estar a fazer falta era uma onda de repórteres à porta, a "cobrir" incessantemente os ângulos mais rebuscados e tristes da dor, para cozinhar filmes de terror, mais tarde do dia e à hora do jantar. Ou de desconhecidos a estacionarem às hordas, com carros e caravanas, a tirarem fotografias com os telemóveis, como se fôssemos King-Kong´s em exposição numa jaula queimada!

   Acredite-se ou não, mas já há notícia de quem promova nas rádios e televisões campanhas de solidariedade enfeitadas de beijos e abraços, tudo a distribuir pelas gentes das aldeias afetadas, em forma de visita turística!

   No início do concerto solidário realizado no Parque das Nações, para nosso escândalo, uma alma iluminada - com responsabilidades públicas -  dispara(ta)va que devíamos pegar na tenda e acampar em Pedrógão, abraçando os locais e mostrando-lhes o nosso "carinho"! Seria bonito, sim senhor(a)!!!!

   Faltará perguntar ao habitante de Pedrógão se estará disposto a estas manifestações de amor autêntico aos magotes, vindas de forasteiros, a saltarem de viaturas alheias e de locais desconhecidos, a estorvar, a invadir a privacidade, a melgar o direito ao luto e ao recolhimento, a fazer filas nas estradas e a tirar o smartphone do bolso, para selfies fraternas, a infestar cada canto com inconveniência. A isto, para complementar o ramalhete, só os embrulhos da SIC e da TVI a fazerem uma dessas festas de domingo à tarde, no centro da vila.

    Ou será que Pedrógão só deseja regar as suas flores e seguir com a sua vida? Alguém que explique...

 

 papagaio

   

   

Quem Verdadeiramente Aprecias?

papagaio-guerra de tróia.jpg

   A existir, o único perto da excelência terá sido Homero; e mesmo assim, na hora  da conceção da Epopeia, faltou-lhe o Sultans of Swing, de Knopfler. Não se pode ter tudo!

   Fosse o caso dos Mirmidões e dos Aqueus terem acesso ao iTunes, e Aquiles teria atacado motivado e inspirado como nunca, ao som da peça do guitarrista.Tróia ter-se-ia borrado de medo e sucumbido às mãos do Dânaos num piscar de olhos! E a tal empresa terminava em dois dias, em vez de dez anos.

   O pior é que não haveria, depois, provavelmente, no traço dos tempos, nada de heróico e épico para contar! Ficaria a sociedade moderna castrada quase só à secura das telenovelas, ao Diário de Maria, à Margarida Rebelo Pinto e às críticas do Sousa Tavares... com todo o (pouco) respeito, enfim...!

   Pensando melhor, ainda bem que Homero foi tão brilhante assim, mas sem ter conhecido as guitarras e o Rock... senão estava tudo condenado. Cada macaco no seu galho e no seu tempo, isso é que é!

Se um Túbaro Incomoda muita Gente, Dois Túbaros Incomodam a Arabela!

bombeiro-em-acao-profissoes-papagaio-blogs.jpg

 

    Ao que parece, uma "ex-celebridade"  - um tanto ou quanto loira, da Casa dos Segredos - decidiu opinar sobre os incêndios de Góis e Pedrógão Grande e apostrofar a atuação dos bombeiros.

   Consta que terá feito, mais ou menos, entre outras, a seguinte observação, da qual nos afastamos, tanto relativamente ao conteúdo como à forma: "... os bombeiros portugueses não fazem nada durante nove meses e quando chegam os incêndios ainda coçam os c*lh*es..."

   Deixamos, já aqui, bem expresso o nosso choque e surpresa com esta afirmação!!! Então, mas como é que a Arabela tem tantas informações sobre as parte íntimas dos voluntários? A dar-se o caso de a moça ter efetivo conhecimento de causa, está o caldo entornado, que o céu é o limite da nossa imaginação!

   Por outro lado, que alguém informe a Arabela de que "coçar os c*lh*es" é o estádio prévio para quem se vai iniciar nas tarefas e trabalhos, nomeadamente na mangueira... faz parte da ferramenta, santa!!!!!

   Diria uma figura sobejamente nossa conhecida que, em termos de generalidade, enquanto uns (neste caso, os bombeiros!) se esforçam bravamente dando cabo do corpo, outros esforçam-se, talvez, dando o corpo ao cabo! Quem quiser enfiar o barrete!...

Papagaio    papagaio

   

Século XXI: Dicionário Atravessado?

papagaio-dicionário-selfies.jpg

 

 Versão Mais ou Menos Oficial que nos Querem Fazer Comer

 

Selfie - imagem tirada ao próprio pelo próprio.

Blelfie - blog dedicado às experiências do próprio autor.

Post(e) - texto superficial publicado numa plataforma digital.

Stick - adereço ou acessório de fotografia.

9dads - novidades nas redes sociais.

Namo -  versão económica para cara metade, namorado mais ou menos virtual.

Sux - manifestação de desagrado.

Y's - geração mais ou menos recente de indivíduos ligados às tecnologias, sobretudo às redes sociais.

Tags - palavras que servem de chave a determinado assunto.

Trending - termo utilizado para eventos ou acontecimentos que chamam a atenção e viram moda.

Hashtags - palavras virtuais começadas por #, que procuram associar um conteúdo a um tema, de modo a captar a atenção.

NoFilter - sistema liberal e aberto de comunicação virtual, aplicado às aldeias globais.

SDV -  em inglês, confundido pelos tecnológicos com: source data verification - verificação das fontes de informação virtual.

Brinks -  a palavra brinks é usada para disfarçar, num forum, no Skype ou noutra sala de conversação, uma coisa que algum jovem quer dizer mas não tem coragem. Por exemplo: "Qualquer dia vou convidar-te para ires ao cinema comigo... e depois...brinks!".

Xoxo - forma deprimente de dar um abraço e um beijo nas redes sociais e nos blogues.

Insight - momento único de esclarecimento em que se fez luz na internet.

Ganda fail - expressão renovada para "falhanço monumental".

Bueda - o mesmo fenómeno que ganda fail, só que com contornos exclusivos de hiperbolia.

Swag - o swag habitualmente está relacionado com pessoas que apresentam um modo irreverente de se vestir. Procura de estilo, imponência, atitude e impressão radical entre jovens internautas.

Terúmdate - o mesmo que "encontro ou saída à noite com alguém de quem se gosta".

 

 Versão Papagástica

 

Selfie - ato de poluir a paisagem que se encontra à retaguarda.

Blelfie - texto de qualidade e conteúdo duvidosos e de teor masoegocentrista.

Post(e) - candeeiro de rua.

Stick - clister virtual de uso em outdoor.

9dads -  ser filho bastardo de várias pessoas do sexo masculino, na Costa Este dos Estados Unidos e em outros países anglo-saxónicos.

Namo - registo milenar, amoroso, de uma pintura rupestre de Foz Côa, depois de ter sido rasurado e vandalizado por certa besta alcoolizada e/ou intoxicada.

Sux - meias usadas dos adolescentes embirrentos e mimados, pré-máquina de lavar.

Y's - grupo vanguardista de putos do sexo masculino, apelidados, também de "cromo-sauros", conhecidos por serem pessoas que não conseguem soletrar nem escrever, por bloqueio compulsivo, as palavras:  folgado, distraído, insubordinado, superficial, lápis, caneta, caderno, trabalho, convívio.

Tags - pedaços de barro que se atiram à parede, para ver se cola e alguém repara em nós.

Trending -movimento político e filosófico, típico do século XXI, desprovido de conteúdo substancial, que se carateriza essencialmente por tentar enxovalhar a tal da formiga que vai no carreiro, em sentido contrário.

Hashtags - o mesmo que Tag, só que nascido das cinzas da imaginação fértil, isto é: mecanismo rebuscadíssimo para tentar fintar as pessoas e levá-las a acreditar que têm interesse por um assunto que nem sequer existe, por vezes.

NoFilter - conceito esquisito e ultramoderno de "Democracia" - tradução portuguesa: " digo o que me apetece, quando me apetece e onde me apetece e estou-me a c*g*r para os direitos dos outros e para a falta de educação, só porque me apetece."

SDV na realidade, foi um termo inventado recentemente por um grupo de informáticos com borbulhas, e que significa, quase sem ninguém saber, (embora muita gente pronuncie pomposamente, porque faz parecer chique!) self-directed violence, que é, basicamente, carregar no botão da internet e começar a assistir ao youtube, às redes sociais e às salas de conversação das baleias azuis.

Brinks - objetos colocados às crianças do sexo feminino, pelas mães, nas orelhas, depois de furadas por um sadomasoquista. Técnica centenária de promoção da dor e do sofrimento.

Xoxo - dois xizes e dois ós, uns a seguir aos outros.

Insight - doença rara que afeta alguns indivíduos nascidos após o ano 2000.

Ganda fail - palavra miscigenada com um pilão e um almofariz, por um miúdo de um país do sul da Europa, que a foi buscar a Nova Iorque, - as passagens foram pagas pelos pais - porque queria ser diferente e mais original que os outros colegas, para gamar as garinas da C+S,  e "fail" já não chegava para fazer o brilharete!

Bueda - o mesmo fenómeno que ganda fail, apenas que, desta vez, os pais não pagaram as passagens, porque o marjavante já tinha idade para ter juizinho na mona e começar a fazer alguma coisa da vida pela própria mão.

Swag - o mesmo que "fixe", só que "fixe" já não é"fixe" de se dizer... é "fatela"!

Terúmdate - linguado executado erradamente entre jovens Swag, e que resulta em sintomas secundários colaterais, como parestesia lingual, manual e/ou cerebral.

 

 

 N.B. O Papagaio orgulha-se do seu conteúdo de baixíssima qualidade, mas que não deixa de ser exclusivo e original; Toda a produção aqui registada é fruto da mente deturpada da ave. Desconsideramos a tradução e o eco. Diga-se!

 

Papagaiopapagaio

 

 

Anúncio: preparação para os exames de Português - barato!

papagaio-exames nacionais.gif

 

 

*Vende-se:

 -Ficheiros de exames de português de secundário e terceiro ciclo em saldo!

 -Promoção pague dois leve três - na aquisição de duas provas oferecemos uma amostra de ficheiro áudio fresquinho.

 - Descontos para grupos - alunos acompanhados pelos pais interessados na marosca (pack com desconto de 50%).

 - Agentes educativos: professores, funcionários de secretarias, diretores escolares, membros do PCP, Bloco de Esquerda e presidentes de sindicatos - direito a entrada livre nas sessões sonoras de pré-apresentação, antes da saída das provas.

 - Condições especiais até finais de julho para compras efetuadas no Facebook, Twitter e Instagram ( aplica-se às plataformas aderentes em aquisições hackeadas online).

- Outlet e stockoff para explicandos delatores e explicadores matreiros e coniventes, a partir de agosto.

Tabela de Preços (Classificações):

Mau - grátis

Medíocre - grátis

Insuficiente - grátis

Suficiente - 12,5 euros

Bom - 17,5 euros

Muito Bom - 22,5 euros

Excelente - 57,5 euros

*(Iniciativa patrocinada e apoiada oficiosamente por uma associação sindical de docentes.)

 

Papagaiopapagaio

 

 

 

 

Tango, Foxtrot, Lima

drone-cartoon-papagaio.jpg

Comunicado Bloganístico:

   Vimos, por este meio, informar que o nosso Boeing penudo da companhia papagaiástica enfrentou hoje um 'drone', que "voou ao seu lado" a 200 metros de altitude, à vertical do blogue da Mocha e adjuntamente ao estaminé da Maria oh, Por favor!, a norte do cabo raso da Kalila às Quartas. Resultante desta situação, o Papagaio viu-se privado das suas penas e teve de proceder a uma aterragem de emergência!

  Por falta de condições de segurança, lamentamos e advertimos os nossos assinantes de que não será possível promulgar o post do costume!

   Gratos,... mas pouco!

Papagaio

papagaio

 

   

 

   

 

   

 

Portugal e as Profissões

 

profissões-papagaio.jpg

 

   Um fedelho com idade mais que suficiente para ter borbulhas na cara e algum juízo na mona, quando confrontado com uma entrevista televisiva, respondeu alto e bom som que se empenhava para os testes de avaliação só porque achava que queria, mais tarde, "gerir uma empresa". Será que o puto tem uma ideia ínfima, sequer, do que é uma "empresa"!!!!?

   Não sabemos se foram os pais que instruíram o miúdo a dar aquela resposta robótica ou se lhe fizeram uma lobotomia digital, formatando a prole, com recurso à ajuda do Sonasol e das novas tecnologias do século XXI; se calhar, afunilaram mais um  ganapo com os sonhos próprios (parentais), os que estes últimos tinham numa época de outras senhoras, poeirentas e encarquilhadas.

   Se foi o  miúdo que respondeu por sua única vontade, só lhe perdoamos porque ainda está na idade de ser tacanho. Aí, damos-lhe uma ajuda:  - de empresas, empresários e gestores, está o país cheio pelos bofes, ó Calvin! E a maior parte é massa falida, ó Meu! Nós não precisamos que sejas gestor!!!! Alguém diga isso à criança!

   Em Portugal, dizer " gestor de empresas" fica sempre bem, confere nível, dá polimento, gera estatuto, ambição, é distinto, aponta para ordenado chorudo, carro pago pela empresa, combustível à borla, gravata fina e muita pancadaria no funcionário reles. Foi esse o desejo do adolescente: "...quero mandar, ganhar bem, trabalhar pouco, chegar à hora que me apetecer, ver o mundo lá de cima..." É isto que o puto, erradamente, pensa!

   Se a criança tivesse dito, e passo a citar: "... quero crescer, tornar-me útil, fazer a diferença, ajudar a construir e apoiar os outros, seja em que emprego for..." - nós teríamos colocado o volume da televisão mais alto, sentar-nos-íamos atentamente no sofá e tiraríamos notas e apontamentos para o caderninho, para aprendermos, também nós, uma grande lição de um grande mestre!

   Como a montanha fez novamente um filho ilegítimo ao rato, mudámos de canal... e adormecemos outra vez na TVI, à hora em que alguém estava outra vez a discutir com alguém...

Papagaio

papagaio

 

   

Pág. 1/3