Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Giló - O Papagaio Indiscreto

Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog Papagaio

Giló - O Papagaio Indiscreto

15% off first order at luvyle.com

Sarampo: Não Lembra ao Diabo!

sarampo, vacinação, sapo blogs, papagaio.jpg

  Portanto, como morreu agora uma jovem com quadro de Sarampo, passa-se a criminalizar os pais que não solicitarem a referida  vacina para os filhos; no entanto, os centros de saúde  e ademais organismos hospitalares avisam que só toma a inoculação quem o desejar, por mera recomendação e por força de determinações superiores, procedentes e decorrentes da responsabilidade do Ministério da Saúde.

   Ou seja, o Estado vem dizer, primeiro, que não é obrigatória a vacinação e, depois, a coisa pública manda agir criminalmente sobre supostos atos de negligência e incúria, pela falta de vacinação, atos esses rotulados como incumprimento grosseiro de deveres parentais que colocam a saúde dos filhos em risco! 

     A ameaça com a barra dos tribunais é para aqueles que não atuem perante um quadro que não carece de atuação, veja-se!, segundo o que a própria Lei determina! 

   Assim, institui-se, numa primeira fase, que não há qualquer negligência a reportar, porque  se determina que não há prescrição obrigatória que torne a vacina do Sarampo imperiosa! A mesma não faz parte mandatória, efetivamente, do Plano Nacional de Vacinação. Num segundo momento, ameaça-se com punição para quem não está em incumprimento legal!

   Alguém percebe isto? Nós não! A não ser que alguém tenha a única atitude decente no meio disto tudo, que é colocar imediatamente o Estado  a contas com a Justiça, acusando-o de homicídio por negligência no caso da jovem de dezassete anos que morreu com um quadro de infeção por Sarampo e responsabilizando o Ministério da Saúde por atentado atroz à saúde pública.

Papagaio

6 comentários

Comentar post