Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Giló - O Papagaio Indiscreto

Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog Papagaio

Giló - O Papagaio Indiscreto

15% off first order at luvyle.com

A Chave! , A Chave!... O Dinheiro! , O Dinheiro!

amiga olga papagaio sapo blogs dinheiro.png

   Um sinal de que os tempos que correm são outros é que a Amiga Olga, se quisesse fazer programa na TVI nos dias de hoje, não teria a mínima hipótese. Primeiro, por causa da profusão de crateras, que interfeririam com o sinal de satélite, levando à queda da emissão e aos irritantes "risquinhos" no ecrã, já para não falar que algum idoso da assistência podia tropeçar e cair lá para dentro da amiga, e a apólice de seguro da Venda do Pinheiro não cobre fenómenos extremos da natureza nem atos de vandalismo!

   Depois, em segundo lugar, por desatualização às vivências. Não faria sentido algum desatar aos gritos e a perguntar  "A Chave ou o Dinheiro?",  porque ninguém quer saber de chaves. O que a malta toda quer é o dinheiro - e o concurso ficava resolvido antes do genérico, pronto! - não dava pica nenhuma! A tia cairia no ridículo, pelo que a sua aposentadoria é benéfica, tanto para a própria como para a sociedade televisiva.

   Outra, é que a madame Cardoso andava (e anda!) muito vestida... o que não funciona! Alguém alguma vez viu a amiga Olga a ser convidada para estrelar na Casa dos Segredos ou no Love on Top? Evidente que não. A única coisa que estrelava era ela própria, que nem um ovo frito, de tão ortodoxa que é! As temperaturas ali são muito altas e tudo o que é acima de bikini é uma pouca de uma vergonha... nem falando que levava muito tempo a tirar a roupa para pinocar - a Teresa Guilherme adormecia e o público mudava todo para o Éden da SIC Radical!

   É por estas e por outras que os departamentos criativos se esforçam tanto por inovar, tentando acompanhar as caturrices e os fetichismos cosmopolitas da sociedade de consumo. Hoje, não se pergunta se alguém quer uma chave, ou se alguém prefere o dinheiro. Pega-se num pedaço de plástico, põe-se o smartphone a cobrir as despesas e a gerar mais valias gordas, e passa-se um cartão minimalista às escondidas, enquanto o Fisco joga ao "estou a fingir que estou a dormir,  virado para o lado de lá...". Por acaso essa do Fisco até é bem pensada, sim senhor, que esse também só quer o dinheiro, o dinheiro...

Papagaio

11 comentários

Comentar post