Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Giló - O Papagaio Indiscreto

Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog Papagaio

Giló - O Papagaio Indiscreto

Cemitérios... tinha prometido!!

 14711840_1804021813212874_2095219908961894400_n.jp

   Ontem, estive no  cemitério... verdade! Não, não foi para lá ficar! - só de passagem, a apreciar as vistas. Não se trata de uma das minhas piadas!

   O cemitério que visitei é bonito, limpo, organizado, um brinquinho!, aposto que os meus estimados "leitores"? adorariam lá passar, também!... é o da minha freguesia, que agora é vila, mas já foi aldeia.

   Está arranjadinho: ar de novo, cheira a novo! Muros pintados, fresquissimamente brancos, canteiros arranjados, talhões aprumados, água corrente, passeios em calçada portuguesa, luz noturna em todos os corredores, com LED's ecológicos! Só lhe faltam as jantes de liga leve! A junta de freguesia esmerou-se, nos últimos tempos, e decidiu dar aos seus fregueses o melhor, na sua Hora !

   A certa altura, no meio dos pensamentos que me povoavam a mente, enquanto lá estava,  - num ambiente muito silencioso, diga-se já!, mas nada sinistro!, - ocorreu-me uma revelação  deveras dramática: na minha freguesia, precisamos de ser falecidos para sermos bem tratados! Na verdade, o cemitério é a "obra" da vila que se apresenta em melhores condições!!! Quem é da minha terra, enquanto está vivo, fica para morrer, por exemplo, quando compra carro novo e tem de o usar nas estradas esburacadas, peço desculpa, nos caminhos de cabras com pedacinhos de alcatrão! É com cada cratera que envergonha as covas do cemitério!

   E podia continuar aqui a falar das precárias condições de "vida" dos vivos meus conterrâneos. Do centro de saúde, com mais grafitti terrorífico que as carruagens da linha de Sintra, do parque de diversões, degradado e a cheirar a xixi, das casas típicas da terra - património cultural - em escombros, a ameaçar ruir em cima da cabeça dos peões, sujeitos a ir parar ao cemitério!! Mas calo-me já... pulei o muro da morada eterna e encontro-me no  meio da estrada! Ainda morro atropelado! Estou-me a desviar...voltemos ao jardim das tabuletas!

    Um dia, se eu morresse, era para um lugar daqueles que queria ir, de facto! Todo o defunto gostaria de um cemitério assim (premium), largo, espaçoso, com divisões pensadas para todos os frequentadores, tanto crónicos, como agudos. Um regalo!!

   A situação é tão exclusiva que eu temo, dada a mesquinhez de muita alma saloia que habita este país, que um dia destes alguém muito iluminadamente se lembre, no burgo, de criar um imposto especial para se poder morrer por cá! Por isso, se alguém estiver a pensar em bater a caçoleta, como dizia o outro, é aproveitar agora enquanto pode, que fica mais em conta.

   Nem nisto podemos ficar descansados, porra!Giló Papagaio Indiscreto.png

Cordialmente

Papagaio 

P.S. Quem achar o tema a despropósito da quadra fica já a saber que o post esteve por uma unha para o dia 25! Seria obra!

13 comentários

Comentar post