Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Giló - O Papagaio Indiscreto

#Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog #

Maneira de mandar este tipo de democracia à m*rda!

covid, comunicação social.jpg

   A comunicação social é uma autêntica VERGONHA! Faz as ditaduras parecerem uma criança inofensiva.Queríamos, aqui, deixar o nosso aplauso às redes sociais, aos blogues, às plataformas digitais, aos telejornais (públicos e privados!), às rádios  - e aos lacaios que servem os interesses e interesseiros instalados neste aparelho medonho, que manipula a ação, o entendimento e os sentimentos das pessoas, - por terem conseguido afugentar os portugueses (e os outros) dos hospitais e dos serviços de saúde, deixando-os a morrer, aos poucos, em casa. Um assassinato em massa, a troco do poder e da forragem de bolsos!

  E ainda se atrevem a dizer que a comunicação social é o garante e querubim da democracia! Que grandessíssimo bando de hipócritas! Com vírus destes, quem é que precisa de COVID - 2 ? 

Pap...

Posto de Desintoxicação para Viciados em Redes Sociais.

redes sociais.jpg

 

   Eu tenho alguns problemas com as redes sociais, nomeadamente com o Facebook. É que faço muitos amigos, muitos deles que eu mesmo nem conheço. Estou, até, a pensar em mudar-me para um apartamento maior, porque não sei onde meter tanta gente!

   Outros fulanos aparecem-me sem eu os chamar; abro as ditas redes e lá estão as fotografias: 1.º: óculos de sol e fatos de banho em pleno inverno; 2.º: "paus de selfies" na mão, a exibir umbigos e trombas incógnitas; 3.º: informações não solicitadas sobre licenciaturas tiradas e viagens de sonho realizadas (ou por realizar); 4.º: frases catitas de filósofos de terceira divisão, aforismos de rua, que soam a lógica da treta e às quais ninguém liga a sério nem cumpre (mundo do faz aquilo que eu digo,não faças aquilo que eu faço!).

   Alguns quantos  desses imensos indivíduos até vivem quase aqui ao meu lado, na freguesia, mas nunca me falaram e continuam sem me cumprimentar quando passam por mim, ainda hoje. Muito estranho! Já nem me lembro do nome de alguns deles. Se não fossem os social media, não chegava a lembrar... e não perdia muito com isso...

   O remédio é que sou pouco viciado no web social. Passo por lá talvez umas duas ou três vezes por ano. Ultimamente, por força de certas circunstâncias, vejo-me arremessado mais vezes do que aquelas que eram costume. Começo a pensar se já não começará a ser demasiado.

   Entretanto, e a propósito destes pensamentos, vi umas frases deste género, algures, (espero que desprendam, no mínimo, ressentimentos virais da parte daqueles que não passam sem uma "cigarrada" nas famigeradas redes):

-O Facebook é como um frigorífico... não há nada de novo lá dentro,mas passamos a abri-lo de três em três minutos;

- Ultimamente, o meu trabalho tem afetado o meu desempenho nas redes sociais;

- O Facebook é o teu melhor amigo, porque te ajuda a reencontrar com pessoas que não vês há anos e a lembrar-te porque é que deixaste de conviver com elas;

- Ganhar dinheiro com aplicações? Desativa as contas e vai (tele)trabalhar!;

- Whats'Up? Eu? - Só em algumas alturas!: por altura do lanche, por altura do almoço, por altura do pequeno almoço, por altura do jantar, por altura do trabalho e em qualquer altura.

"Facebook": o local em que as relações são perfeitas, em que os mentirosos acreditam nas próprias mentiras, e em que o resto do mundo apregoa que tem uma vida fabulosa!

Pap...papagaio

 

 

 

 

 

O Filósofo bêbedo, a Donzela depressiva, a Beleza duvidosa e o Comprimido light.

dieta.jpg

    Dizia Friedrich Schiller que: "O maior de todos os bens é a beleza da mulher."  Mas que grande embuste, para mais vendido assim como se fosse aforismo de primeira! Que estratagema tão foleiro, ó pensador! Os alemães até podem ser muito bons a montar automóveis mas não percebem patavina de mulheres. Têm a sensibilidade de um bezerro desaforado. Até a mais lerda das mulheres perceberia logo que o filósofo estava a mentir vergonhosamente.

   No século XVIII, primeiro, o tal poeta/filósofo alemão, com a sua célebre frase, já se estava a esquecer da beleza do homem, o que é discriminação de género! Segundo, dizer que a beleza da mulher é o maior de todos os bens é um pouco como dizer que um clube dos distritais, na última posição do campeonato e só com derrotas é..."campeão"! Isso só dizem os sócios fanáticos, alguém com intenções obscuras ou algum interesseiro com necessidade de ser politicamente correto! Terceiro - sem dúvida  que Schiller também não estava a contar com o peso das insídias complexas do século XXI. Viesse o fulano dar uma olhada no estado atual de coisas e arrepender-se-ia logo da maior parte das suas frases bajuladoras... provavelmente inventadas a granel para fazer sucesso no meio feminino e arranjar garina!

   Ó Friedrich, e quando se passsa defronte de uma vitrina de parafarmácia e se depara com o facto de haver esqueletos no cemitério com mais febra que algumas modelos fotográficas? É que, estávamos nós a cruzar uma esquina com uma viela muito movimentada, e eis que somos surpreendidos de caras com a Dânia Neto - ou o que sobrava dela! - a fazer poses com molas agarradas às calças, atrás de uma embalagem de Depuralina. E a embalagem quase que ganhava! Era Depuralina a mais para top model a menos. De facto, agora que vemos melhor, junto à Dânia Neto, as caixas de Depuralina parece que são... GORDAS! Alguém avise a Depuralina que tem de fazer dieta...

   Provavelmente, se a modelo foi paga ao peso, como nos restaurantes brasileiros, a campanha poderá ter saído bem em conta para aos donos da marca diurética. Por outro lado, nós quase que íamos morrendo (novamente) de enfarte com o susto que apanhámos - porque vínhamos distraídos a pensar em coisas muito importantes e não estávamos à espera de ser confrontados com um crucifixo assombrador ao virar da rua, numa montra. Tanto osso!! Talvez um perrito achasse alguma beleza naquele conceito de imagem!

    Por estas alturas, toda a gente estará a perguntar: " Mas quem é esse tal de Friedrich Schiller?" Quanto à Depuralina, já ninguém pergunta nada, porque todos sabem de cor o aspeto das embalagens e dos seus polémicos anúncios; da Dânia, também alguns a conhecerão, pelo menos o suficiente para ficarem a matutar: " ...mas a gaja não era gorda! Para que é que se foi agarrar aos comprimidos?".

   Provalvelmente, por duas razões, diríamos nós: aumentar o índice de capital e aumentar o índice de beleza segundo Schiller, para vender aos normais que querem passar a ser mais feios que os esqueletos!

Papagaiopapagaio

A Marta Elle já fez parte deste Blogue... e muito bem!

   Anita pelo Mundo - Não me canso disto

   Alguns daqueles que se recordam da Marta, sabem que ela já fez parte, de alguma maneira, do blogue do Papagaio. Para além disso, era uma das principais comentadoras da casa. É possível verificar a participação dela em muitos dos postos que ainda estão salpicados pelo Papagaio Indiscreto fora; era uma ativista e frequentadora assídua do espaço do Papagaio. Para falar de forma exata, foi das primeiras pessoas a aparecer no blogue e manteve sempre a ligação, militantemente, durante anos, até ao dia em que tal deixou de ser possível. Mesmo quando se encontrava mais frágil, não deixava de estar presente, fazendo um esforço admirável e mostrando que gostava de se manter "ligada" e ativa. A coragem da Marta deixava-nos ( a nós, do blogue) de boca aberta. Deixava de boca aberta, também, imaginamos, muitos autores de outros blogues, pelos quais se passeava. Fazer parte da blogosfera foi uma das formas que encontrou para se manter viva e positiva, em tempos que lhe foram difíceis.

   Obviamente que a maior parte das pessoas não se encontra minimamente informada da relação cordial e amiga que havia entre a Notadissonante e o Papagaio Indiscreto. Durou anos. Também em momentos menos alegres do Papagaio, aparecia a Nota, e chegava a ser das poucas a marcar presença, de forma gratuita e sem pedir nada em troca, ao contrário de muitos que por aqui pululam e verborreiam, fazendo da palavra uma espécie de foguete que sobe no ar e rebenta, com muito aparato mas sem grande substância, não sendo festival muito merecedor nem de atenção nem de crédito. A dada altura, foi a própria Marta Elle que nos empurrou, a nós próprios, para que nos mantivéssemos ativos, e a ela lhe devemos, agradecidamente, isso. Posto isto, quem é que tem o direito, ignorantemente, de ocupar o espaço que é dos outros a dar conselhos ou fazer reparos sobre o que devemos estimar ou não, seja relativamente a que assunto for? O próprio blogue Notadissonante continua ativo, não incomoda à Equipa do Sapo Blogs, nem tem nada de incomodar, até porque se trata de uma das marcas deixadas, propositadamente, pela Marta. Gostava dele, provavelmente orgulhava-se dele e continuaria a alimentá-lo se o tivesse podido fazer. Encontrar o blogue da Marta ou os comentários dela na blogosfera, parace ser, para algumas almas, motivo de susto ( para nós, será mais fita que outra coisa qualquer!). Quantos blogues não figurarão, por aí, sem que possam ser atualizados pelos seus proprietários? Uma boa pergunta a colocar a comentadores supostamente assustadiços!

   Os comentários da Marta Elle continuarão a fazer parte e a estar presentes nas nossas páginas, por diversas razões, sendo que a principal é que temos a consciência que o desejo dela era que tudo ficasse tal como ela deixou. E como estamos seriamente convitos que era essa a sua vontade, não iremos atender a conversas fiadas para fazer o contrário, para "apagar" ou "passar uma borracha", para "não se ver", só porque a alguém que é do nosso inteiro desconhecimento lhe parece politicamente incorreto!

  As únicas pessoas que terão direito a manifesto merecedor de consideração, serão os seus familiares. Até hoje, esta vontade ainda não foi expressa, e o contacto do Papagaio encontra-se acessível. Aí, agir-se-á de forma respeitadora.

   Enquanto isso não acontece, relembramos a todos aqueles que sofrem de frágeis suscetibilidades, ou que se assustam de forma espúria, que não são obrigados - nem aconselhados, sequer, - a frequentar o blogue do Papagaio. Estão liberados de aparecer e não se sentirá a sua falta. Dispensamos comentários de visitas que gostam de polémicas, inventam críticas ou simulam choque. Os autores do Blogue do Papagaio Indiscreto reclamam para si a gestão própria do referido espaço e reservam-se ao direito de eliminar e bloquear, de forma definitiva, comentários e participantes que considerem despropositados.

   Cordialmente.

A equipa do Bloguepapagaio.jpg

   

Manual de Primeiros Socorros para Escritores

livros.jpg

   Se há coisa que nos entristece, é ouvir indivíduos a lamentarem-se, por exemplo, que não escrevem porque lhes "falta a inspiração"!  Quantos escrevinhadores famosos é que não afirmaram, já, ter "emperrado"? Afinal, quem é que nunca teve problemas com o "motor de arranque?" Sim, porque algumas grandes carreiras literárias acontecem com gente que igualmente experimenta este problema de não saber como começar, isto apesar de se sentir que há um José Rodrigues dos Santos ou uma Diana Palmer dentro de nós!

    Francamente! Se a falta de inspiração for problema, se a dificuldade é começar a parir a primeira frase ou o primeiro parágrafo, se a incógnita é escolher um título brilhante e adequado, damos uma ajuda!, para desembaraçar a mente, soltar os gases, libertar a inspiração, já que a falta de talento (ou de senso) faz tantas vezes o restante...

kit-10-livros-romances-.jpg

Uma Milionária Com a Mão na Braguilha

   Marco GianFranco andava de um lado para o outro, inquieto, na  suite  da Penthouse, que ele mesmo alugara no hotel Le Grunhe de Parrris. Gesticulava impacientemente no seu Smartphone, enquanto fazia perguntas para saber se Prunella caíra na sua armadilha. Em breve, se tudo corresse como planeado por si, colocaria as suas grossas patas na fortuna daquela papalva sonhadora. Todos aqueles diamantes seriam, em breve, seus!

 

coleçao sabrina.jpg

Eternamente Apaixonada Pelo Milionário... com a Mão na Braguilha

   Jackie soluçava convulsivamente. George Royáli fora o seu único "amigo verdadeiro", apesar de tudo. O sexo, por sua vez, com aquele idiota, era terrível e ela passara os últimos oito dias a fingir orgasmos! Agora, ele morrera - o veneno que ela lhe entornara discretamente na flute cristalina de champagne Mounsieur de Sauvignon fizera mesmo o seu trabalho,- e bastava a Jackie ficar ali, sentada, agora, assim, a soluçar, aos olhos dos outros,  no velório chiquérrimo, - que a companhia de seguros iria pagar até ao último tostão -, apertando as rosas encarnadas nas suas mãos, transpiradas por debaixo das luvas negras de renda. Fingindo sofrer por um homem do qual se descartara, como se fosse um lenço velho, amarrotado, depois de apenas uma semana de casamento e cama. Em breve, se tudo corresse como planeado viuvamente por si, colocaria as suas maquiavélicas patas na fortuna daquele papalvo sonhador, que jazia ali, exangue e lívido.

 

harlequin.jpg

Só mais Uma Carícia... no Milionário da Braguilha

   Stuart dirigia-se para a cidade. Em breve chegaria ao seu escritório, cheiroso de um dos seus perfumes e vestido num dos seus fatos caríssimos. Pensar nisso, excitava-a. Para Melanie, a simples ideia de ver Stuart engolido numa carícia da suas era paralisante! Seria paralisante para ele, certamente! Vestira-se com a lingerie mais ousada e rendilhada que encontrara no seu enorme closet. Stuart não resistiria à sedução ardilosa e imprevista de Melanie. A imagem sensual faria o trabalhinho quase todo. Colocar-se debaixo da secretária também jogaria a favor de M. E poderiam fazer as coisas todas que quisessem se ela permanecesse ali e o apanhasse de surpresa, com a boca no trombone, ou com o trombone na boca, dependendo do ponto de vista e de quem se mexesse primeiro para soprar. Àquela hora da manhã, Stuart teria tomado, certamente, o seu banho e estaria cheirosíssimo. Depois de tamanha insídia libidinosa, Stuart não teria coragem nem argumentos para recusar, e Melanie, em breve, se tudo corresse como planeado por si, colocaria as suas patas - e a boca maquiavélica - na fortuna daquele papalvo sonhador.

 

leitura.jpg

4º  O Amante... da Milionária sem Braguilha

 Se a desejava, tê-la-ia… Fanny Gugliante não conseguia acreditar que Valério Danoni tivesse tanto descaramento e a agarrasse, pondo-lhe as mãos nas ancas! Mas Valério era um homem musculoso e decidido. Deixava qualquer mulher louca  e suada de desejos. Nem Gugliante conseguiria resistir! Depois de colocar as suas mãos nos seus seios, meteria as mãos na massa, e não restaria pedra sobre pedra - todo o império de Fanny sob o seu controlo, começando pela fábrica de colas para papel e madeira. O pai de fanny tinha caído na doença e não poderia, desta vez, socorrer a filha das garras de "El Tigre". Dentro de um mês, Danoni já seria dono de tudo. Se tudo corresse como planeado por si, colocaria as patas na fortuna daquela, agora, papalva anestesiada. O que Danoni não sabia era que F. estava grávida...ainda assim, em breve, se tudo corresse como planeado por si, colocaria as suas grossas patas na fortuna daquela papalva... ai isso é que sim! E depois, iria com*r a outra...

romances.jpg

Tórrida Paixão... pela Braguilha Milionária

     Devia ser apenas uma aventura, até Penny Schultz anunciar que estava grávida…já a sua amiga F. tinha ficado grávida... e a coisa acabara mal, com Valério na prisão e a ter que sair para amamentar de quatro em quatro horas!

     Desde que Penny olhara pela primeira vez, nos olhos, para Lorenzo Torresmo, percebera que estaria metida num lindíssimo sarilho! Nunca tinha visto uns olhos tão intensos e, para mais, isso era indicativo que se tratava de mais uma novela da coleção Sabrina, não havendo chance, para esta mulher, de se livrar deste sacador de fêmeas com fortunas milionárias. Penny percebeu que Lorenzo deveria ter, pelo menos, mais umas doze manequins todas escondidas no armário, e que ficariam lá escondidas até ao capítulo XXVIII, altura em que o safado a deixaria na penúria e ainda faria chacota dela, depois de se apoderar das ações da empresa, com as suas patas, e de ir para a cama, petulantemente, com a amante mais gorda que estava escondida na prateleira de cima do armário.

    Era impossível ignorar a corrente de sensações que saltavam nas veias de Penny. Lorenzo iria traí-la e ficar com a sua fortuna? Que se f**esse tudo ! Era um homem muito sexy e iria sugar-lhe o tutano todo, tal o sufoco anormal que aquele parvalhão lhe deixava! Que se lixassem as empresas! No final da sessão de amor, atirar-lhe-ia com a história da gravidez às trombas; diria que o filho era dele, quando, no fundo, ela nem sequer estava grávida...aquilo eram gases, e uma almofada debaixo do vestido...em breve, se tudo corresse como planeado por si, deixaria que lhe colocassem as grossas patas na sua fortuna... ganda papalva!

 

   Expresso o meu consentimento total para serem utilizados estes "desbloqueadores" da mente literária.

Pap...papagaio.jpg

Querida, encolhi a Literatura!

   

livros.jpg

   Muito bem! Vivemos num país imensamente democrático. Cada um dá a opinião que bem entender e toma a que lhe apetecer. Então, sobre o resto do mundo é melhor nem falar! Não há nada mais liberal que a Aldeia Global!

    Mas continuamos com o mesmo dilema! Quem é que pediu toneladas de blogues com sugestões de livros? Quando existir um estudo sério e independente, vai-se descobrir que há mais  blogueiros opinadores sobre livros do que... livros em si! 

    Isto  não é, contudo, o mais estranho. O mais curioso é que as largas sugestões bloguísticas sobre literatura, apesar de serem enjoativamente redundantes e motivadas pelas capelinhas de interesses, a maior parte das vezes, surpreendentemente, até nem são más!  A menor parte é , admita-se! Pronto! Mas há, não obstante, uma ínfima parte que é fraca. E a maior é constuída por sugestões péssimas. Restam as  terríveis, que dão vontade de rir e chorar, ao mesmo tempo.

   Um destes dias, batemos com as trombas num blogue de sugestão livrística - coisa impensável até ao último fim de semana! - que apontava para a análise literária através das capas, ( dizia a figura blogástica que emoldurava as capas e as colocava nas paredes, que nem alces), depois de uma passagem pelas livrarias! Será, talvez, um blogue de E.V.T., travestido de "forum de leitura". Isto não é necessariamente inaudito nem escandaloso, até porque também já vimos pessoas que adoram a caça e se dizem "caçadores", mas que se limitam à estúpida diversão de pregar cabeças embalsamadas de alces e javalis no alto das paredes lá de casa. Entre estas duas atividades,  - comprar livros e adorar fanaticamente as capas, e cortar cabeças a animais selvagens para colocar tudo pendurado, como troféu, - há muito em comum: para além da estupidez, temos o desconhecimento das questões do ambiente, o desrespeito pelas espécies e a degradação da imagem-própria. Ainda assim, pregar capas de livros nas paredes contribuirá menos para a malvada da pegada ecológica.

   Outra: para quando a promoção da literatura substancial e a referência desinteressada a autores portugueses, sejam eles clássicos, contemporâneos ou novos autores? Isso! A Literatura Portuguesa é das mais ricas a nível mundial. Que se saiba que também há Literatura Portuguesa! Ajudamos, claro! Aí vai: Miguel Torga; José Ángel Manas; Eça de Queirós; Fernando Namora; Osvaldo Soriano; Marjane Satrapi; Michel Tournier; Machado de Assis; António Lobo Antunes; Baya Gacemi; Herta Muller; Vergílio Ferreira; Juan Marsé; António Tabucchi; Catherine Clemént; Daniel Pennac; Horace MacCoy; Henry Rider Haggard; Camilo Castelo Branco; Pablo Neruda; Agustina Bessa-Luís; Peter Sheridan; Antero de Quental; José Saramago; Yasmina Reza; Hervé Guibert; Urbano Tavares Rodrigues; Franz Kafka; Ana Tortajada; José Régio; François Lelord; Da Chen; Alves Redol; Raymond Chandler; Danilo de Albuquerque (aqui fui tendencioso, LOL!); Fernando Sabino; Tahar Ben Jelloun;  Thomas Wolfe; Carolina Maria de Jesus; Magnus Mills; Slavenka Drakulic; Lídia Jorge; Jorge de Sena; Eduardo Lourenço; Jack London; Heinrich Harrer; Umberto Eco; Mario Vargas Llosa; Le Clésio; Wislawa Szymborska ;Nuno Júdice; Alice Walker; José Luis Peixoto, Dulce Maria Cardoso... 

   Escusam de agradecer a lição, perdão, as sugestões...

   Pap...papagaio

Seis formas de fazer brilhar os seus postos... sem ter de dramatizar na COVID

dog blog.gif

1. Publicar em formato de listas  - Em Portugal, quem é que não gosta de uma lista? As listas de vagas de entradas no curso, as listas dos resultados do teste de matemática, a lista do supermercado. Ter uma lista é garantia de gente à nossa volta (e de nariz colado na lista!). A malta ADORA estar na lista!

2. Escrever um posto fácil de escrever - é importante construir frases curtas, porque assim é mais fácil! Como eu escrevo frases compridas, - maiores que o meu pirilau (e olhem que ele é bem GRANDE cumó caraças!) - ninguém me lê. A verdade é que eu faço de propósito, uma vez que tenho algumas dificuldades em lidar com a fama que se abate sobre mim. O meu objetivo é não ser lido, por isso, faço texto corrido, para complicar a vossa perceção sobre as minhas ideias e para dispersar no assunto que eu já nem sei qual é que ele era. Portanto, se querem ser lidos, vão diretos ao "ponto" ou à "coisa", conforme sejam homens ou mulheres...ou vice-versa.

3. Tentar tornar-se viral - Se estiverem com dificuldades em atingir a viralidade nos vossos textos, tirem a roupa toda e vão em pelota para a rua, num dia de inverno. Se, ainda assim, não funcionar, podem tentar levar o portátil para a sala de espera de um centro de saúde, entre novembro e janeiro. Isto faz com que tenham potencial para viralizar: não convém é exagerar, porque se apanharem uma infeção bacteriana, podem ficar sem poder escrever postos durante várias semanas, e isso acaba com o vosso blogue! Para não dizer com a vossa vida, embora isso seja de somenos importância. O blogue primeiro!

4. Tentar fazer parecer que se é uma autoridade no assunto - selecionem um tema, decidam sobre o que escrever dentro desse assunto e abordem a matéria em diversos tópicos. Se se fizerem acompanhar por um daqueles livrinhos de multas parecidos com os da EMEL, passa muito a impressão e o medo aos visitantes de que, realmente, uma pessoa entende  MESMO sobre o que  está a falar. Até pode ser que recebam uma gorjeta e um pedido de desculpas.

5. Façam autopromoção a todo o custo, até doer, se for preciso! - É claro que, mesmo que vocês façam um conteúdo de qualidade, muito provavelmente é que deixarão alguns leitores internautas a bocejar. O tempo e o espaço são curtos: se estiverem a falar de viagens e foram, na vida real, a lado nenhum mais distante que o Samouco, não se esqueçam de remeter no vosso blogue para os vossos outros postos de viagens ao Rio, Marraquexe, ou às encantadoras Cataratas de Vitória.  Se não foram às Cataratas , digam , ao menos, que passaram pelo Made in Correeiros!

   Por isso,  deve-se sempre aproveitar a lista de lugares onde nunca se esteve, para polir os sapatos e fazer render o peixe, e sugerir outros destinos que complementem a bazófia, comprovada com os postais comprados na loja dos trezentos de Carcavelos, e que estão dentro da velha caixinha de bolachas. 

6. Façam postos com números - Existem muitos estudos que indicam que o ser humano gosta de números. Um desses estudos, por exemplo, realizado pelos meus colegas da  classe, há 8 dias atrás, mostra que títulos e textos que possuem números são os preferidos das pessoas. Não digam: "...mulheres apalpadas em Hollywood..."; digam "... 100.000 mil mulheres com busto copa C/46 apalpadas 385.000 vezes no rabo por 2.000.000.000  biliões de milhões de realizadores, atores e 1 jardineiro que ia por ali a passar por acaso, dentro de um estúdio de filmagem com 500.000 m2 e espaço de garagem para 7.000 viaturas de luxo...".

Isto dos números  explica-se em parte pela teoria da especialização funcional hemisférica, que afirma que o nosso cérebro e o nosso porta-moedas possuem diferentes áreas que são especializadas em diferentes funções. Por causa disso, lá estão as nossas preferências cognitivas e neuroparapsicológicas por números, desde que eles não sejam exagerados. Perceberam? Já agora, o valor de (π)Pi é = a 3,14!

Mas serve qualquer número? Não! Alguém descobriu que os mais populares são os seguintes: 69 (nesta ordem), 0, 10, 23, 16, 66, 99 e 24. No próximo posto, explicaremos o porquê, sobretudo do 69 e do 66.

Pap...papagaio.jpg

 

 

Conselhos úteis para quem está aí em casa sem nada que fazer.

covid, televisão, lixo.jpg

   Está desempregado(a)? Em layoff? Sofre de downsizing? Passa o tempo a ver séries atrasadas de polícias e barbies-sexy norte-americanas? A vida corre-lhe mal? O vírus estragou-lhe os planos? Anda desorientado(a) e deprimido? Está aborrecido(a) porque o prenderam em casa? É pensionista ou reformado(a) e não sabe para que lado se virar (se o covid da TVI se o da SIC)?

    Nós damos-lhe algumas sugestões de como se pode entreter,  sobretudo depois da meia-noite, aproveitando melhor o seu tempo, evitando que se preocupe com pensamentos negativos e sendo mais eficaz na gestão das suas emoções :

1º Compre uma daquelas frigideiras antiaderentes em que dá para fritar e bater com um martelo com toda a força sem  amolgar, riscar nem colar os ovos;

2º Adquira um daqueles aparelhinhos ocos de plástico que se ligam à tomada e fazem andar o contador da luz para trás, poupando até 75% de energia;

3º Encomende um par de chinelos antiderrapantes, iguais aos da feira, pela módica quantia de 199,99EUR o par; se comprar dois pares recebe um Libidum Fast do Paulo Futre, completamente grátis, para fazer pegar o carro ( já inclui três moças vestidas de top e salto alto no banco de trás,  promoção limitada para as primeiras dez chamadas); 

4º Telefone e encomende uma dessas novas vassouras a preço de arrasar, com rodas e escovas mágicas, para limpar o pó e o lixo que você já varre com as outras dezoito vassouras todas que acumula aí em casa desde 1982;

5º Compre umas bisnagas do champô-milagre autenticado por estudos de uma universidade muito séria e com provas dadas, que faz reverter a calvície em 6 horas e voltar a nascer o cabelo em 48. No final da semana, acredite que já se vai ver obrigado a sair de casa para ir ao barbeiro para cortar a juba! Não utilize o champô debaixo das covas dos braços nem nas zonas genitais, ou vai ser necessária a intervenção das motoroçadoras dos canarinhos!

 6º Adquira uma caixa de anticontracetivos da marca "Carolina Patrocínio", no caso de se sentir sozinha(o) e não conseguir engravidar. Vai ficar com a casa cheia de putos da noite para o dia. Se engravidar não fizer parte dos seus planos... vá "treinar", que é o que a Carolina faz para ficar discretamente grávida.

7º Alugue uma embalagem de cápsulas marca " Simone de Oliveira", e deixe de se queixar dos ossos, para se passar a queixar à DECO.

 

Saudações... e bom vírus, perdão... boa Páscoa!

Pap....papagaio.jpg

A geringonça II em tempos de Covid (2.ºround)...

cartoon marcar consulta covid.png

   Os norte-americanos tinham o Obamacare... quiseram mudar de presidente que, por sua vez, inaugurou o Idon'tcareafuck... nós, por cá, que não admitimos ficar atrás, temos o Costanãocare.

   O Costanãocare  - há longa data - que as consultas no SNS se realizem, ou que demorem mais de cinco minutos, muito menos em tempos de COVID-19. É, efetivamente, exageradíssimo pedir mais do que isso para um atendimento médico!

   Nós não votámos na Geringonça I nem II, mas já estamos arrependidos da nossa atitude, tal a profusão de excelentes medidas que têm vindo a ser preconizadas, nomeadamente para a saúde! Veja-se só a volta que foi preciso dar para convencer o nosso ministro da finanças a largar uns trocados para comprar umas máscaras e uns fatos plásticos aos chineses. Se a Comissão Europeia não tivesse alargado os cordões à bolsa!...

    Mas o que é que pode ser feito em cinco minutos, batendo o tempo recorde de um ato clínico no SNS?

1º- Um filho - a maior parte dos filhos é feita em menos de cinco minutos, - rapidinho(a)- e sem ninguém dar por nada, nem mesmo os próprios executantes! A demora é que pode levar nove meses a perceber...

2º- Desfazer-se de um filho - alguns dos pais que fazem filhos em menos de cinco minutos, nove meses depois também se desfazem deles em menos de cinco minutos. Normalmente é o tempo de irem estampar com os infelizes numa instituição de acolhimento... ou num contentor do lixo (sim, deixem-se de m*rdas, que eu já assisti a isso!).

3º - Uma empresa - depois de se ficar à espera três horas e meia para se ser atendido na Conservatória de registo, quando chega finalmente a nossa vez, a empresa aparece em cinco minutos, mais ou menos o mesmo tempo que leva depois a declarar insolvência, mas sobre esse dado não nos vamos estender aqui!

4º - Rever os objetivos de vida - o caminho até à ponte 25 de abril é que pode, depois, levar mais tempo, por causa do trânsito, e assim...

5º - Tirar a carta de condução - em certas zonas do país, o mais difícil e demorado é o tempo de ir fazer um levantamento ao Multibanco, enquanto o instrutor espera no carro, com as rodas em cima do passeio.

6º - Engenharia civil, ao domingo - sobretudo se a licenciatura fizer parte do plano de estudos e do currículo da Universidade Independente, para "estudantes" da Beira Interior. Em Paris há cursos de pós-graduação para complemento curricular, financiados pelo contribuinte português (lá está... o ESTADO somos todos nós!).

7º - Mudar o preço dos terrenos, no Montijo - e também em Alcochete, na OTA, e no Deserto...

8º - Despedir 3500 funcionários e colocar 350000 em Layout - neste particular, aconselha-se a utilização do email. No caso de ser impossível por este meio, por causa da treta das leis e dos direitos, convém utilizar o Facebook, o Twitter ou, em última análise, o Microsoft Teams.

9º - Dar vários concertos de Jazz - a Antena 1 já provou que é possível fazê-lo, e de forma meritória!

10º - Escrever um post com imensas bacoradas - para isso não é preciso provas, está à frente dos narizes de cada um de nós!

  Não vale a pena, portanto, vir-se chorar que não há decência numa consulta de cinco minutos. Após ficar com o rabo quadrado, perante uma manhã inteira numa sala de espera, é sempre possível medicar um alma-de-Deus com xarope e supositórios para uma neoplasia linfoblástica em estado avançado IV... em 5 minutos... ou menos! Quanto ao diálogo "médico-paciente" e à sensibilidade pelos sentimentos das pessoas... ISSO É PARA MARIQUINHAS, PÁ!

Papagaio

Era (mais) uma vez a Literatura Portuguesa II

transferir.jpg

    Há pessoas que "aaamam" livros  mas que só pegam num autor português se forem ao engano. Por exemplo, se o autor for imensamente chique e famoso ou se houver direito a pseudónimo e este soar a inglês. Os autores cujo nome soa a italiano também se costumam safar junto do leitor intermédio português, porque o italiano tem muito charme e estilo e, para além de fazer recordar sapatos finos e pasta, também lembra fatos caríssimos e perfume! Portanto, só por meio do embuste é que se leva a que  80% dos portugueses  - que se acham mais ou menos cultos e que o costumam mostrar envergando livros na mão, na praça, - sejam apanhados com um texto escrito por um autor português. Se, a meio, descobrirem o equívoco, raramente darão por terminada a leitura, que aquilo começa a ficar demorado e sem graça. Entretanto, chega a hora de ir fazer outra coisa, como  jantar,  gerar uma discussão doméstica (30% das vezes com direito a violência física), apanhar o 38 ou garatujar o blogue pessoal com o inadiável posto do dia...

   Outras, gostam de literatura e não de livros. Nós somos desses: uma espécie fedorenta e incomodativa, manientos racistas diegéticos, que só leem mesmo o que lhes apetece e que chegam ao fim da história sem saber muito bem qual é a proveniência nem o nome do autor. Um destes dias quase que confundia M.E.C. com M.R.P., não fosse um parágrafo avisador que insistia numa pensão de alimentos providenciada por um administrador bancário que cheirava supostamente muito bem, mas que tinha sido apanhado com os tom*tes entalados numa barra de tribunal. Só para confirmar o engano, virei de página e encontrei a seguinte passagem, que tirou todas as poucas e restantes dúvidas que ainda pudessem existir: "Podias ter-me dito que ias sair da minha vida. A paixão é mesmo isto, nunca sabemos quando acaba ou se transforma em amor, e eu sabia que a tua paixão não iria resistir à erosão do tempo, ao frio dos dias, ao vazio da cama, ao silêncio da distância".

   Outra coisa que fazemos, para além de não desprestigiarmos a literatura nacional, é não dar conselhos de leitura. As livrarias e bibliotecas estão de tal forma atulhadas que o mais fácil é pegar num livro. Basta esticar o braço. Pedir conselhos sobre livros é desnecessário e faz lembrar, ligeiramente, uma coisa chamada cagufa, entre outras, que aqui não revelamos, por pejo, educação e por terem relação com a falta de evolução da espécie. Pedirem-nos que aconselhe livros é como pedirem-nos que aconselhe o Pingo Doce ou o Continente. Nesta última situação, o importante é que se vá às compras e não se deixe morrer à fome. Acresce que, se é para ficar desiludido com uma leitura, basta escolher à sorte. Não é preciso ficar com medo de não se gostar, que um conselho não elimina a hipótese de desilusão. Infelizmente, o que mais há por aí é papel e tinta incapazes de surpreender a simples alma de uma minhoca.  Felizmente, também não falta produto de qualidade. De qualquer forma, que se faça o aviso de que a possibilidade de ler o primeiro parágrafo da primeira página e tornar a colocar o livro na estante ainda existe. Nenhuma livraria cobra ao parágrafo nem à página... pelo menos, para já! É melhor não dar ideias...

   Então, pedir ou dar conselhos de leitura, por exemplo, num blogue, é como estar em Times Square e perguntar para que lado fica Nova Iorque. Ou é gozar de troça ou é o cúmulo da desorientação.

   Para quando a criação de uma dessas apps que fazem seleção automática, através dos desejos e preferências dos utilizadores? Uma verdadeira trending machine aplicada aos livros! Como uma daquelas que permitem escolher restaurantes ou clubes de swing! Estilo: restaurantes na zona sul de lisboa; restaurantes com preços reduzidos; restaurantes que servem peixe grelhado; restaurantes que servem vinhos brancos com os funcionários completamente nus...swing club que aceita MBWay; swing club que fornece caldo verde take-away; swing club para católicos descontentes; swing club para clientes com cabelos louros e pelos no rabo; casa swing a norte do Douro que aceita reservas para casais com p*las e m*mas pequenas,  clube tinder-swing para deputados liberais da Assembleia, das 11h às 4 da madrugada... E a redução acontece!

   Livrarias que servem M.R.P. e R.M.'A.; livrarias com romances cor de rosa; livrarias só com autores estrangeiros; livrarias de vanity publishing; livrarias com Tony Carreira e que abordam a temática do plágio; livrarias gigantes que promovem o esconde-esconde e esmagam carochas; livrarias de receitas de culinária de famosos; livrarias de receitas de culinária de mais-ou-menos-famosos; livrarias de receitas de autores que não sabem estrelar um ovo; livrarias de auto-ajuda, combate à depressão, defesa contra o suicídio; livrarias sobre gurus que desvendam como fazer fortunas ou perder 80 quilos em dois dias... e sem deixar de comer porco-preto. E a redução acontece!

Pap...

Contributo da Selfie para a Evolução da Humanidade...

selfie and Covid 19.jpg

     Um importantíssimo estudo baseado no empirismo veio concluir que as selfishes são mais perigosas do que os ataques de tubarões e a Covid-19 juntos, mais mortíferas do que as escorregadelas nas falésias e mais traiçoeiras do que as vagas de inverno à beira-mar. A única explicação que nos sobra para tal efeito trágico só poderá estar na carqueira tóxica e enjoativa que tende a acumular-se, cada vez mais, no interior e à volta de imensos umbigos.

 

Pap...papagaio

Pág. 1/2