Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Giló - O Papagaio Indiscreto

#Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog #

As portas fugazes - lançamento da coleção de contos de Rodrigo C. Pereira

as-portas-fugazes.png

     " Mas o universo tem mesmo sentido? A experiência humana mais elementar revela que sim. Nem que sejam aqueles raros instantes de sentido, verdadeiros lapsos fortuitos de felicidade passageira: um sonho de criança (talvez Ana do conto Ana e o Lobo) ou uma tarde azul de domingo, passeio de família com pipocas, algodão doce e roda-gigante no parque. São esses fugitivos momentos de felicidade que nos dão um rápido vislumbre de sentido. Será que a eternidade é o suceder ad infinitum de momentos como este? Será que a eternidade é uma espécie de orgasmo perpétuo (talvez o sonho do Lobo do mesmo conto)? Não sabemos. Apenas temos nesta vida experiências provisórias do que quer que seja a eternidade: uma porta para ela se abre e nos deixa entrever o que há do lado de lá, mas rapidamente se fecha na nossa cara. O prazer da literatura também faz parte desses raros instantes. A literatura é ela mesma uma porta fugaz."

in Prefácio a As Portas Fugazes ( F.O. de Araújo

)

     Decorria o ano 1999 quando, a lápis, num caderno escolar, Rodrigo C. Pereira começou a escrever os contos que compõem esta obra. Fê-lo, à época, sem qualquer pretensão de publicá-los, algo que veio a acontecer por influência de um grupo de estudantes de Letras e Filosofia.
Em As Portas Fugazes, o autor aborda as questões existenciais que nos acompanham enquanto seres humanos e questiona filosoficamente as situações inerentes à vida. Prefácio de Frederico Oliveira de Araújo. Posfácio de Rafael Campos Quevedo.
Chancela In-Quatro, da Luz da Razão Editora.

 

Pap...papagaio

2 comentários

Comentar post