Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Giló - O Papagaio Indiscreto

#Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog #

Enxaqueca - temporariamente fora de serviço

enxaquecas.jpg

    Os sinais mais característicos de enxaquecas são, naturalmente, as dores fortes. A maioria das pessoas que sofre de enxaquecas descreve as dores de cabeça como pulsativas, ocasionalmente graduais e que se fazem sentir normalmente num dos lados da cabeça. As pessoas afetadas sofrem também de sensibilidade à luz, assim como de náuseas e/ou vómitos. Quando se fala apenas de sintomas “típicos”, falamos de enxaquecas sem aura.

     Além das dores de cabeça associadas a enxaquecas, podem observar-se outros sintomas:

  1. Perturbações de visão, como raios de luz, névoas ou linhas em ziguezague no campo de visão
  2. Perturbações na fala, por exemplo dificuldade em encontrar palavras
  3. Tonturas
  4. Parestesia
  5. Sensação generalizada de fraqueza
  6. Sensações anormais (por exemplo, formigueiro ou ardor)

     Se os doentes com dores de cabeça sofrerem de alterações neurológicas temporais, trata-se de uma enxaqueca com aura. Este tipo de enxaqueca ocorre porque os vasos sanguíneos no cérebro contraem-se antes da crise real de enxaqueca; esta alteração ligeira e temporária do sangue provoca sintomas concomitantes.

     Infelizmente ainda não existe cura total para a enxaqueca. Pode-se, no entanto, controlar melhor as crises de enxaquecas, tal como prevenir alguns fatores de causas individuais e tomar o analgésico adequado - por exemplo, Migraspirina, que é eficaz no alívio da dor.

     Apesar da investigação intensiva nos últimos anos, a cura para as enxaquecas ainda está longe de ser alcançada. As relações e os fatores desencadeadores são complexos e as formas e circunstâncias são extremamente diversificadas. No entanto, não há necessidade das pessoas afetadas entrarem em desespero: a melhoria da qualidade de vida é possível mesmo com enxaquecas. Esclarecemos o que ajuda e como pode aliviar os sintomas.

     O que ajuda na enxaqueca e o que deverá ser de máxima prioridade, além do tratamento com medicamentos, é o descanso. Vá para uma divisão com pouca luz e barulho e descanse. O seu corpo precisa de relaxar, acima de tudo. Tente abstrair-se e não pensar noutras coisas ou pressões. Se possível, durma um pouco.

    O segundo passo para o tratamento de enxaquecas são os analgésicos. Com os comprimidos para a dor de cabeça pode aliviar os sintomas em caso de crises agudas, o que significa que, se tomar o comprimido numa fase inicial haverá um grande alívio e, por outro lado, um impacto positivo para minimizar a intensidade da crise de enxaqueca.

    Tenha em atenção de que não deverá tomar analgésicos para as enxaquecas durante mais de dez dias por mês e no máximo 3 dias seguidos – caso contrário correrá o risco de desenvolver dores de cabeça associadas ao consumo excessivo de medicamentos.

Para os doentes com enxaquecas especialmente intensas, os médicos prescrevem normalmente medicamentos com triptano. Estes medicamentos foram especialmente desenvolvidos para a enxaqueca. O triptano existe não só sob a forma de comprimidos, como também sob a forma de spray nasal.

patrocinadoA DOR ATUA RÁPIDO - A ASPIRINA® TAMBÉM