Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Giló - O Papagaio Indiscreto

#Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog #

Expressão de individualidade na linguagem?

   

linguagem.jpg

  A forma gramaticalmente correta do feminino da palavra poeta é poetisa. Sempre que quisermos referir uma mulher que escreve poesia, devemos utilizar o nome comum feminino poetisa. Trata-se de uma variação biforme ao nível do género.

   A palavra poetisa é formada a partir da derivação, ou seja, é acrescentado um sufixo a uma palavra já existente, alterando o sentido da mesma. Neste caso temos a palavra poeta mais o sufixo –isa. O sufixo nominal –isa transmite uma ideia de feminino, como poetisa, profetisa, pitonisa, diaconisa,…

   Esta dúvida surge porque, atualmente, o nome poetisa tem desembrulhado, culturalmente, para alguns, um sentido pejorativo - tinha-o, por exemplo, para Sophia de Mello Breyner, que via em poetisa uma forma de se sentir desprestigiada. Assim, algumas figuras femininas intitulam-se "poetas" e não poetisas, acreditando afirmar uma maior dignidade e qualidade de trabalho em "poeta". No mínimo, a atitude gera polémica. Até porque há, também, no plano feminino, quem  se identifique, orgulhosa e militantemente, apenas com poetisa, como forma capaz de afirmar completa, cabalmente e sem medo a sua própria identidade de género.

   Desta maneira, gramaticalmente, a forma "poeta" aplicada para designar "a mulher que escreve poesia" não se encontra descrita - trata-se de uma liberdade, apenas com contornos sociolinguísticos -  não uma forma oficial para o feminino de "poeta" e que apareça contemplada em dicionários ou em qualquer outro compêndio linguístico. Neste sentido, a palavra "poeta" apresenta-se como sendo um termo que aceita uma variante de género, ou seja, o poeta e a poetisa. Apenas o uso e o tempo poderão definir o feminino de poeta como sendo a poeta... a menos que se desencante, pelo meio do caminho, um novo Acordo.

Exemplos gramaticais:
Que bonita poesia desta grande poetisa. - correto
Que bonita poesia desta grande poeta. - incorreto

Que bonita poesia deste grande poeta. (aplicado em sentido neutro: homem ou mulher - correto)

A poetisa leu a estrofe e todos aplaudiram. - correto
A poeta leu a estrofe e todos aplaudiram. - incorreto

O poeta leu a estrofe e todos aplaudiram. (aplicado em sentido neutro: homem ou mulher - correto)