Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Giló - O Papagaio Indiscreto

#Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog #

O Filósofo bêbedo, a Donzela depressiva, a Beleza duvidosa e o Comprimido light.

dieta.jpg

    Dizia Friedrich Schiller que: "O maior de todos os bens é a beleza da mulher."  Mas que grande embuste, para mais vendido assim como se fosse aforismo de primeira! Que estratagema tão foleiro, ó pensador! Os alemães até podem ser muito bons a montar automóveis mas não percebem patavina de mulheres. Têm a sensibilidade de um bezerro desaforado. Até a mais lerda das mulheres perceberia logo que o filósofo estava a mentir vergonhosamente.

   No século XVIII, primeiro, o tal poeta/filósofo alemão, com a sua célebre frase, já se estava a esquecer da beleza do homem, o que é discriminação de género! Segundo, dizer que a beleza da mulher é o maior de todos os bens é um pouco como dizer que um clube dos distritais, na última posição do campeonato e só com derrotas é..."campeão"! Isso só dizem os sócios fanáticos, alguém com intenções obscuras ou algum interesseiro com necessidade de ser politicamente correto! Terceiro - sem dúvida  que Schiller também não estava a contar com o peso das insídias complexas do século XXI. Viesse o fulano dar uma olhada no estado atual de coisas e arrepender-se-ia logo da maior parte das suas frases bajuladoras... provavelmente inventadas a granel para fazer sucesso no meio feminino e arranjar garina!

   Ó Friedrich, e quando se passsa defronte de uma vitrina de parafarmácia e se depara com o facto de haver esqueletos no cemitério com mais febra que algumas modelos fotográficas? É que, estávamos nós a cruzar uma esquina com uma viela muito movimentada, e eis que somos surpreendidos de caras com a Dânia Neto - ou o que sobrava dela! - a fazer poses com molas agarradas às calças, atrás de uma embalagem de Depuralina. E a embalagem quase que ganhava! Era Depuralina a mais para top model a menos. De facto, agora que vemos melhor, junto à Dânia Neto, as caixas de Depuralina parece que são... GORDAS! Alguém avise a Depuralina que tem de fazer dieta...

   Provavelmente, se a modelo foi paga ao peso, como nos restaurantes brasileiros, a campanha poderá ter saído bem em conta para aos donos da marca diurética. Por outro lado, nós quase que íamos morrendo (novamente) de enfarte com o susto que apanhámos - porque vínhamos distraídos a pensar em coisas muito importantes e não estávamos à espera de ser confrontados com um crucifixo assombrador ao virar da rua, numa montra. Tanto osso!! Talvez um perrito achasse alguma beleza naquele conceito de imagem!

    Por estas alturas, toda a gente estará a perguntar: " Mas quem é esse tal de Friedrich Schiller?" Quanto à Depuralina, já ninguém pergunta nada, porque todos sabem de cor o aspeto das embalagens e dos seus polémicos anúncios; da Dânia, também alguns a conhecerão, pelo menos o suficiente para ficarem a matutar: " ...mas a gaja não era gorda! Para que é que se foi agarrar aos comprimidos?".

   Provalvelmente, por duas razões, diríamos nós: aumentar o índice de capital e aumentar o índice de beleza segundo Schiller, para vender aos normais que querem passar a ser mais feios que os esqueletos!

Papagaiopapagaio