Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Giló - O Papagaio Indiscreto

#Aqui no Papagaio e no Sapo Blogs outra vez? Pá! Vão à praia, façam amor com a(o) namorada(o)... evitem é perder o vosso precioso tempo neste botequim! Podiam, pelo menos, ter o bom gosto de escolher outro blog #

Uma cana de pesca para o meu avô - Gao XingJian

Wook.pt - Uma Cana de Pesca para o Meu Avô

   O homem até é Prémio Nobel, mas "só" isso!... descrevo aquilo que senti na leitura destes contos como algo que paira entre a anestesia e o ataque de bocejo.
   Iniciou bem com os primeiros contos. O acidente é uma história estranha, violenta e cativante - e eis que se começa a sentir, a partir daí, uma certa redundância.  O texto que dá corpo ao título deste volume foi, por exemplo, uma autêntica deceção. Pensei em desistir, porque a minha vida é curta e há muito por aí que mereça ser lido, à espera. Ainda lhe quis dar o benefício da dúvida, fingindo que não me estava a sentir enfadado, afinal, o homem até era " Prémio Nobel", condição que, para alguns leitores, é mais do que imediatamente suficiente para elevar um texto à categoria de "obra-prima" !
  Notoriamente, alguns contos são mais estimulantes do que outros, ainda assim será verdade. Por isso,  a obra merecerá leitores mais sensíveis e mais identificados com a cultura sin.
  As alegadas recordações de infância e a propalada "simplicidade das alegrias" criam um embrulho bonito,com um laço de encantar - uma expetativa alta e que acaba furada. O texto foi-me desconsolado, desengraçado... e a nostalgia da cultura oriental pariu um rato!

   Quanto a mim, enquanto leitor, parto para outra, que se faz tarde, e não faltam prateleiras cheias de coisas interessantes, a merecer atenção.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.